Genebra, 2 mar (EFE).- A Cruz Vermelha pediu hoje, em caráter emergencial, 4,7 milhões de euros para ajudar nos trabalhos que está desenvolvendo para ajudar as vítimas do terremoto que sacudiu o Chile no sábado.

O dinheiro será usado para a distribuição de artigos de primeira necessidade, barracas e lonas impermeáveis a 15 mil famílias, e também na construção de um hospital de campanha, na compra de geradores e equipamentos para o tratamento de água e esgoto e na oferta de apoio de logística ao longo dos próximos seis meses.

Segundo os números mais recentes publicadas pelo Governo, 723 pessoas morreram no tremor, 20 estão desaparecidos e mais de 2 milhões estão desabrigados.

A Cruz Vermelha chilena, em estreita coordenação com o Escritório Nacional de Emergência do Ministério do Interior (Onemi), mobilizou suas equipes especializadas em situações de emergências quatro horas depois do terremoto. Além disso, espalhou cerca de 120 voluntários de seu escritório central ao redor de Santiago.

Até o momento, a Cruz Vermelha chilena já distribuiu alimentos, artigos de higiene e cobertores. A organização também pede doações de dinheiro e sangue à população. EFE mh/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.