Cruz Vermelha oferece mediação para libertar refém das Farc

Madri, 17 abr (EFE).- O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) ofereceu hoje sua mediação para facilitar a libertação do suboficial do Exército colombiano Pablo Emilio Moncayo, sequestrado há quase 12 anos pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e um dos militares que estão há mais tempo reféns da guerrilha.

EFE |

As Farc anunciaram ontem sua decisão unilateral de libertar o militar.

"Anunciamos nossa decisão de libertar unilateralmente o cabo Pablo Emilio Moncayo e entregá-lo pessoalmente a uma comissão liderada pela senadora (Piedad) Córdoba e o professor Moncayo (Gustavo, pai do militar), após se organizarem os mecanismos que garantam a segurança da operação", afirmaram as Farc.

Yves Heller, porta-voz do CICV na Colômbia, fez hoje, em Madri, a oferta da organização humanitária, que fez extensiva para todos os reféns sob poder de grupos armados colombianos.

"O CICV está disposto a oferecer seus bons ofícios para facilitar a libertação das pessoas que estão em poder dos grupos armados, tanto nas mãos das Farc quanto do Exército de Libertação Nacional (ELN)", disse Heller.

O porta-voz do CICV na Colômbia disse que a organização humanitária está preocupada tanto com os "civis que estão privados de liberdade" quanto com os membros "das polícias" que estão nas mãos das Farc, ainda mais se forem levadas em conta as condições "muito difíceis" dessas pessoas na selva.

Sobre a devolução do corpo do chefe guerrilheiro "Raúl Reyes", morto em 2008 em uma operação colombiana em solo equatoriano, Heller disse que o CICV não recebeu nenhuma solicitação por parte da família, nem do Governo colombiano nem das Farc para participar do processo.

Acrescentou que a organização humanitária "não tem nenhuma informação" sobre o corpo de Raúl Reyes, que a Polícia colombiana diz ter sepultado por incumbência da família. EFE me/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG