Cruz Vermelha italiana procura quem não quer deixar suas casas após terremoto

LAquila (Itália).- A Cruz Vermelha italiana iniciou patrulhas que procuram aqueles afetados pelo terremoto que na segunda-feira passada castigou o centro da Itália que não querem abandonar suas casas, apesar das advertências do grande risco de desabamentos, segundo informaram hoje os meios de imprensa italianos.

EFE |

Estas patrulhas percorrem todos os pequenos povoados que se encontram na zona de L'Aquila, a mais próxima ao epicentro do terremoto e a mais afetada pelo mesmo, tentando convencer estes "irredutíveis" a irem para os campos de tendas ou para os hotéis que foram postos à disposição dos desabrigados.

Em sua maioria, se trata de pessoas de idade avançada, que resistem a abandonar as casas nas quais investiram as economias de toda uma vida, como Pasqualina, que em declarações à imprensa assegurou: "se a casa caísse, só espero ter o tempo de sair debaixo dela".

"Demoramos uma vida para construí-la, ninguém poderá tirá-la de nós", concluiu.

Na localidade de San Martino, a 100 quilômetros de L'Aquila, os membros da Cruz Vermelha encontraram inclusive uma garagem habitada por 25 pessoas de uma mesma família, que se negavam a sair de seu lugar de origem.

No entanto, a Cruz Vermelha indica que o nível de risco continua sendo "máximo", por isso que aconselham a todos os atingidos a abandonarem por enquanto suas casas para evitar a possibilidade de que haja novas vítimas derivadas de futuras réplicas. EFE if-cps-fab/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG