Cruz Vermelha fica sem dinheiro após ajudar afetados por furacão Gustav

A Cruz Vermelha dos Estados Unidos deu início nesta segunda-feira a uma campanha para arrecadar fundos para sanar a dívida de mais US$ 70 milhões que contraiu após a ajuda concedida ao atendimento dos afetados pelo furacão Gustav. A organização internacional, que durante a passagem do furacão assistiu milhares de pessoas, só conseguiu arrecadar até agora US$ 5 milhões para custear as despesas. Lesly Simmons, porta-voz da Cruz Vermelha, atribuiu este fato à percepção errônea de que o impacto do furacão não foi tão forte quanto outros.

EFE |

"As pessoas têm a percepção de que Gustav não causou tantos danos quanto outras tempestades, mas isto não é verdade", disse à Agência Efe. "Ainda há milhares de pessoas deslocadas que não podem voltar para casa e que precisam que lhes ajudemos", acrescentou Simmons. Gustav atingiu o litoral do Golfo do México coincidindo com o terceiro aniversário do furacão Katrina, que, em 2005, arrasou a cidade de Nova Orleans e deixou 1.800 mortos.

Com a imagem ainda recente do desastre pela lenta reação da Administração para ajudar a população, este ano o governo se adiantou nas tarefas de evacuação com a chegada de Gustav.  Por isso, segundo Simmons, "criou-se uma falsa visão" do impacto real do furacão nos Estados Unidos.

A evacuação de dois milhões de pessoas e os danos causados pelas inundações de casas e estabelecimentos, além do restabelecimento da eletricidade em toda a região, tornam necessárias mais ajudas, segundo a Cruz Vermelha.

"Com esta campanha, vamos reforçar a mensagem de que toda esta gente precisa de ajuda. Ainda há regiões sem eletricidade e, sobretudo, as pessoas idosas precisam estar em lugares seguros e com ar condicionado para evitar o calor", explicou Simmons.

A Cruz Vermelha deslocou para a região três mil voluntários com cobertores e material de emergência, e abriu 500 refúgios em 14 estados.

Simmons afirmou que, para custear estas despesas, pediu dinheiro à sede central da Cruz Vermelha, mas espera que a entidade se recupere com a campanha iniciada.

Após Gustav, a Cruz Vermelha também deu assistência no litoral leste do país, onde durante todo o fim de semana a tempestade tropical Hanna causou inundações e deixou milhares de pessoas sem eletricidade, e agora se prepara para o furacão Ike, que ameaça novamente a zona do Golfo.

    Leia tudo sobre: gustavike

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG