Cruz Vermelha faz no Haiti a maior operação após tsunami na Ásia

Redação Central, 19 jan (EFE).- O Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho enviou ao Haiti 16 unidades de resposta em emergências, na maior operação de ajuda de toda sua história, após o tsunami que assolou o sul da Ásia em 2004.

EFE |

A Cruz Vermelha informou hoje que, além destas unidades, especializadas em água, saneamento, saúde, telecomunicações, logística e distribuição de ajuda, foram enviados ao país caribenho 400 membros especializados em emergências.

Voluntários da Cruz Vermelha no Haiti atendem os feridos e realizam atividades de busca e resgate em resposta à catástrofe provocada pelo terremoto que assolou esse país há uma semana.

Além disso, 24 delegados da organização trabalham no terreno para tramitar a ajuda e apoiar a Cruz Vermelha do Haiti e da República Dominicana.

O terremoto de 7 graus na escala Richter aconteceu às 19h53 (Brasília) da terça-feira passada e teve epicentro a 15 quilômetros da capital haitiana, Porto Príncipe. Segundo declarações à Agência Efe, o primeiro-ministro do Haiti, Jean Max Bellerive, acredita que o número de mortos superará 100 mil.

O Exército brasileiro informou que pelo menos 17 militares do país que participavam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do terremoto.

A médica Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, e Luiz Carlos da Costa, o segundo civil mais importante na hierarquia da ONU no Haiti, também morreram no tremor. EFE td/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG