Cruz Vermelha diz que segurança é prioridade no Haiti

Panamá, 22 jan (EFE).- O presidente da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, Tadateru Konoé, afirmou hoje que a prioridade neste momento no Haiti é garantir a segurança para que a ajuda possa ser entregue aos desabrigados pelo terremoto.

EFE |

"Garantir a segurança é a primeira prioridade neste momento", disse Konoé à Agencia Efe, por telefone, diretamente do Panamá, onde está após passar por território haitiano na terça-feira.

"As pessoas precisam de assistência imediata, seja em termos de água potável ou mantimentos. O problema é que não podemos organizar tudo e distribuir adequadamente por conta da situação da segurança, que ainda é muito frágil", comentou.

Ele disse que é preciso o efeito da presença de tropas americanas no país, e se isso poderá garantir a segurança. "Se a população não recebê-las bem, causaria mais dificuldades", comentou.

Konoé também se mostrou preocupado com o "congestionamento" causado por tantos organismos não-governamentais e oficiais trabalhando ao mesmo tempo no Haiti.

"Não trabalhar diretamente lá até que a situação melhore talvez seja a opção ideal para alguns", apontou. A Cruz Vermelha tem sua principal base montada na vizinha República Dominicana.

O terremoto que atingiu o Haiti ocorreu às 19h53 de Brasília do dia 12 de janeiro e teve epicentro a 15 quilômetros da capital, Porto Príncipe.

Em declarações à Agência Efe, o primeiro-ministro do país, Jean Max Bellerive, disse que o número de mortos superará 100 mil.

Pelo menos 21 brasileiros morreram na tragédia, sendo 18 militares e três civis, entre eles a médica Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, e Luiz Carlos da Costa, o segundo civil mais importante na hierarquia da ONU no Haiti. EFE.

jlp/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG