A missão humanitária liderada pela França para auxiliar os reféns começou hoje. " / A missão humanitária liderada pela França para auxiliar os reféns começou hoje. " /

Cruz Vermelha diz manter diálogo com as Farc para libertar Betancourt

GENEBRA -O porta-voz do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) na Colômbia, Yves Heller, disse nesta sexta-feira em Genebra que a entidade mantém um diálogo confidencial com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) para conseguir a libertação da ex-candidata a presidência da Colômbia Ingrid Betancourt e de outros reféns. http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/04/02/governo_colombiano_diz_que_missao_para_assistencia_a_refens_esta_em_andamento_1255239.htmlA missão humanitária liderada pela França para auxiliar os reféns começou hoje.

EFE |

Entretanto, Heller disse que o CICV não recebeu "até o dia de hoje nenhum pedido das Farc para participar de uma possível libertação de Ingrid Betancourt". O porta-voz do CICV apresentou hoje em Genebra o relatório de 2007 sobre a situação humanitária na Colômbia.

Em declarações à imprensa, Heller insistiu na necessidade de ser "muito cauteloso" e "prudente" em torno de tudo o que envolve a situação e as negociações para libertar a ex-candidata presidencial colombiana.

Heller disse não ter informações sobre o estado de saúde de Betancourt,"nunca foi possível visitá-la" em seu cativeiro na selva, mas reconheceu que o CICV está "muito preocupado", sem dar detalhes.

O porta-voz também afirmou que o CICV não recebeu até agora nenhum pedido das Farc para participar da missão humanitária que o presidente francês, Nicolas Sarkozy, decidiu enviar à Colômbia para chegar até Betancourt, e que inclui um médico.

Heller lembrou "a experiência" da Cruz Vermelha em libertações anteriores, assim como a reputação de neutralidade da organização, contou que a entidade está mantendo contato com "a França e com os outros países amigos (Espanha e Suíça)".

No entanto, o porta-voz insistiu que é "muito cedo" para poder especular sobre qualquer tipo de detalhes a respeito da logística de uma possível operação de libertação.

A chefe da delegação do CICV na Colômbia, a suíça Barbara Hintermann, declarou hoje em Bogotá que o pedido feito à entidade para que participe da operação humanitária que atenderá Betancourt deve vir das Farc.

Em declarações à imprensa durante a apresentação do relatório do CICV na Colômbia, Hintermann disse que "a solicitação deve vir das Farc porque eles têm as pessoas (os reféns) em suas mãos".

A chefe da Cruz Vermelha na Colômbia insistiu que a operação humanitária "é uma iniciativa da França e da Suíça na qual o CICV não está envolvido por enquanto".

  • Entenda o caso

    Ingrid Betancourt, 46 anos, é uma senadora franco-colombiana seqüestrada durante sua campanha à presidência da Colômbia. Ela está em poder das Farc desde 23 de fevereiro de 2002 e é uma das 40 reféns que a guerrilha pretende trocar por 500 insurgentes presos em uma negociação de um acordo humanitário com o governo colombiano.

    Apesar de o estado de saúde de Betancourt ser preocupante desde outubro, quando foi divulgado um vídeo no qual ela aparece abatida e muito magra, o temor por sua vida aumentou desde fevereiro, com os testemunhos de ex-companheiros de cativeiro e versões de colonos que acreditam tê-la visto em aldeias de Guaviare.

    • Leia tudo sobre: farc

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG