Cruz Vermelha denuncia morte de colaborador em ataque em Kandahar

Genebra, 26 ago (EFE).- O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) denunciou hoje a morte de um de seus colaboradores, que trabalhava como engenheiro hidráulico, no atentado com carro-bomba registrado na terça-feira na cidade de Kandahar, no sul do Afeganistão.

EFE |

O atentado, que não foi reivindicado, ocorreu em uma área residencial, de modo que as vítimas são, na grande maioria, civis, afirmou o organismo.

Explicou que o hospital regional de Mirwais, que conta com o apoio de uma equipe médica do CICV, recebeu nas horas posteriores ao atentado 40 mortos e 60 feridos, mas "é provável que o número de falecidos e feridos seja maior".

O engenheiro, de 48 anos, que trabalhava para a organização, estava sozinho em casa quando ocorreu a explosão, e morreu devido ao desabamento do teto, explicou o CICV, em Genebra.

A esposa e os filhos do colaborador não estavam em Kandahar no momento do atentado, acrescentou.

Após expressar sua "profunda comoção" pela trágica morte de seu empregado, o CICV lembrou que, em cumprimento do direito humanitário internacional "e como uma questão fundamental de humanidade", é preciso fazer tudo o possível para manter os civis a salvo durante os conflitos. EFE is/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG