A crise humanitária é cada vez mais grave no noroeste do Paquistão, cuja população tenta fugir da ofensiva iniciada há 11 dias pelo Exército paquistanês contra os rebeldes talibãs no vale de Swat, alertou o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

Nos últimos dois dias, enquanto os combates chegavam ao distrito de Swat, as autoridades paquistanesas anunciaram que mais de 40.000 pessoas fugiram da principal cidade da região, Mingora. Também informaram a criação de um campo para os deslocados com capacidade para 500.000 pessoas, na previsão de um grande êxodo procedente dos distritos de Buner, Baixo Dir e Swat.

"A crise humanitária na Província da Fronteira do Noroeste se agrava, mas não podemos chegar às zonas mais afetadas pelos combates", afirmou Benno Kocher, que coordena as operações do CICV na província.

"O CICV e o Crescente Vermelho paquistanês estão reunindo recursos para poder enviar alimentos e bens de primeira necessidade a 120.000 pessoas deslocadas em consequência dos combates", completou.

gir/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.