Cruz Vermelha colombiana reforça trabalho para libertação de reféns das Farc

Bogotá, 24 dez (EFE).- A delegação do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) na Colômbia trabalha com as partes para a anunciada libertação de seis reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), afirmou hoje à Agência Efe o porta-voz do organismo em Bogotá, Yves Heller.

EFE |

"A posição do CICV não mudou. Segue havendo contatos. Trabalhamos através dos diferentes canais: ontem (terça-feira) falou-se com familiares dos reféns, fazemos o mesmo com o Governo e também com a guerrilha", disse o porta-voz.

Ele acrescentou em seguida que os contatos e diálogo são feitos "com discrição", e ressaltou que se acontecerem as libertações, "o sucesso depende muito da confidencialidade".

No domingo, as Farc anunciaram a libertação dos políticos Alan Jara, ex-governador do departamento de Meta, e do ex-deputado da Assembléia Departamental de Valle del Cauca, sudoeste, Sigifredo López, assim como de três policiais e um soldado.

As seis pessoas que serão libertadas de maneira unilateral pertencem ao grupo de 28 seqüestrados que a guerrilha colombiana quer trocar por 500 rebeldes presos.

As Farc disseram em comunicado que a entrega será "em dois períodos".

"O CICV, como organismo imparcial, deve obter garantias de segurança por parte do Governo, da Polícia e também das Farc para entrar nas zonas" nas quais ocorrem as libertações, disse Yves Heller à Efe.

Heller disse que acredita que "é muito cedo para falar de datas e de localização e de condições", e destacou que o processo ainda está "na etapa inicial". EFE rrm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG