O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) denunciou nesta quinta-feira que as forças israelenses não prestaram auxílio aos feridos em Gaza e impediram o acesso das equipes de socorro durante quatro dias a uma área da cidade, onde foram encontrados 12 mortos e vários feridos.

"Neste caso concreto, as forças militares israelenses não têm cumprido com sua obrigação de prestar auxílio e evacuar os feridos de acordo com o direito internacional humanitário", afirma a organização com sede em Genebra.

O CICV e os funcionários do Crescente Vermelho (a Cruz Vermelha nos países islâmicos) palestino não tiveram acesso até quarta-feira a Zeitun, quatro dias depois da solicitação de entrada na região.

No local encontraram 12 cadáveres e pelo menos 19 sobreviventes, incluindo quatro crianças, em várias casas atingidas pelos bombardeios e que ficam a menos de 100 metros das posições do Exército israelense.

As quatro crianças, encontradas ao lado do corpo da mãe, estavam muito fracas para conseguir ficar de pé, informou o CICV, cujo chefe de delegação para Israel e os territórios palestinos, Pierre Wettach, considerou o incidente "escandaloso".

O CICV pedia desde 3 de janeiro que as ambulâncias tivessem acesso a Zeitun, mas só recebeu permissão das forças militares israelenses no dia 7. A organização tachou a demora de "inaceitável".

"Os militares israelenses deviam ter conhecimento da situação, mas não prestaram auxílio aos feridos", declarou Wettach.

"Tampouco fizeram o necessário para que nós ou o Crescente Vermelho palestino pudéssemos prestar auxílio", completou.

pac/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.