Cronologia: Os fatos mais marcantes da guerra do Iraque

EUA marcam fim das missões de combate no país árabe, mais de sete anos depois do início do conflito

iG São Paulo |

AP
Fumaça sobe de Ministério do Comércio em Bagdá depois de ele ser atingido por ataque das forças lideradas pelos EUA (20/03/2003)
Os Estados Unidos concluem neste 31 de agosto sua missão de combate no Iraque, mais de sete anos depois do início da invasão das tropas anglo-americanas, em 20 de março de 2003. Permanecerão no país 50 mil soldados para treinar e assessorar as tropas iraquianas, mas há dúvidas sobre a promessa do presidente Barack Obama de retirar todas os militares americanos até o final de 2011.

Mais de 100 mil iraquianos, segundo a ONG Iraq Body Count, morreram durante uma guerra que causou também a morte de mais de 4,4 mil soldados americanos, além de outras baixas na coalizão internacional. Leia a seguir a cronologia dos fatos mais importantes do conflito:

2002

- 29 de janeiro: O presidente americano George W. Bush inclui o Iraque no "Eixo do mal"

- 8 de novembro: O Conselho de Segurança da ONU aprova por unanimidade a resolução 1.441, que obriga o presidente iraquiano Saddam Hussein a aceitar o retorno dos inspetores de armas ao país

AP
Presidente dos EUA, George W. Bush, declara o fim dos grandes combates no Iraque em porta-aviões USS Abraham Lincoln. Em faixa se lê: "Missão Cumprida"
2003

- 27 de janeiro: Inspetores concluem que não há provas definitivas de que o Iraque possui armas de destruição em massa

- 20 de março: Começa a invasão, com a operação "Liberdade do Iraque". Entre março e abril, cerca de 125 mil soldados dos EUA e Grã-Bretanha estarão no Iraque. Os EUA anunciam que até o final de abril acrescentarão mais 100 mil soldados ao contingente

- 9 de abril: Queda do regime de Saddam Hussein, que desaparece. Soldados americanos cruzam o Rio Tigre, chegam ao coração de Bagdá e derrubam uma estátua do presidente iraquiano na praça Fardus, em cena transmitida ao vivo para todo o mundo pela televisão

- 1º de maio: Bush anuncia o fim dos combates, tendo atrás de si a faixa com os dizeres "Missão Cumprida". Até essa data, 138 soldados dos EUA são mortos

- 22 de maio: Conselho de Segurança da ONU aprova a resolução 1.483, que põe fim a quase 13 anos de sanções contra o Iraque e outorga o comando às forças de ocupação por período indeterminado

- 22 de julho: Os filhos de Saddam Uday e Qusay são mortos em Mossul

- 19 de agosto: Atentado contra a ONU em Bagdá deixa 22 mortos, incluindo o representante da ONU no país, o brasileiro Sérgio Vieira de Mello

- 3 de setembro: Primeiro governo pós-Saddam

- 2 de outubro: Grupo de inspeção no Iraque admite não ter encontrado nenhuma arma de destruição em massa no Iraque

Getty Images
Banca em Londres expõe jornais cujas capas informam da captura do ex-presidente iraquiano Saddam Hussein (15/12/2003)
- 14 de dezembro: Soldados dos EUA capturam Saddam dentro de um buraco em Tikrit, norte do Iraque

2004

- 28 abril: A rede televisiva americana "CBS" divulga imagens de supostos maus-tratos a presos iraquianos na prisão de Abu Ghraib

- 28 junho: Transferência do poder a um governo interino iraquiano. O xiita Iyad Allawi é nomeado primeiro-ministro

- 9 julho: Comissão de Inteligência do Senado americano conclui que a CIA supervalorizou a possível ameaça iraquiana

- 7 novembro: Ataque à cidade de Faluja acaba com mas de 1,6 mil rebeldes mortos

2005

- 30 janeiro: A xiita Aliança Iraquiana Unida vence as primeiras eleições multipartidárias em 50 anos

Getty Images
Foto do Departamento de Defesa dos EUA mostra líder da Al-Qaeda no Iraque, Abu Musab al-Zarqawi, morto em ataque aéreo em 8 de junho de 2006
- 28 fevereiro: Ataque reivindicado pelo líder da Al-Qaeda no Iraque, Abu Musab al-Zarqawi, deixa 118 mortos em Hilla, no centro do país

- 31 março: Comissão presidencial conclui que os serviços de inteligência dos EUA se equivocaram em suas estimativas sobre a presença de armas de destruição em massa no Iraque

- 6-7 de abril: O curdo Jalal Talabani é eleito presidente e o xiita Ibrahim al-Jaafari nomeado primeiro-ministro

- 15 outubro: Cerca de 78% dos iraquianos aprovam a nova Constituição, contestada pelos sunitas

2006

- 22 de fevereiro: Explosão em uma mesquita xiita de Samarra dá início a uma violência sectária generalizada, desatando temores de guerra civil

- 22 de abril: Reeleito, o presidente curdo Jalal Talabani encarrega ao xiita Nuri al-Maliki formação do novo governo, que ocorre em maio

- 8 junho: Líder da Al-Qaeda no Iraque, Abu Musab al-Zarqawi, é morto em ataque aéreo

- 7 de setembro: Governo iraquiano assume o comando militar

- 5 de novembro: Saddam é condenado à morte pela execução de 148 xiitas em 1982

- 6 de dezembro: O relatório Baker recomenda o início de retirada das tropas em 2008

- 23 de novembro: Pelo menos 203 mortos em atentados em série em um bairro xiita de Bagdá

- 30 de dezembro: Saddam Hussein é enforcado

Getty Images
Israelense lê jornal que noticia morte de ex-líder iraquiano Saddam Hussein na forca (31/12/2006)
2007

- 10 de janeiro: Bush anuncia o envio de milhares de soldados adicionais ao Iraque para conter a onda de violência. Até meados de junho, cerca de 30 mil soldados são enviados para o Iraque. Além de reduzir a violência, a meta dos EUA era criar um "espaço de respiro" para que os líderes iraquianos fizessem progressos na aprovação de leis consideradas cruciais para promover a reconciliação nacional

- 14 de fevereiro: Plano de segurança para Bagdá (80 mil soldados iraquianos e americanos)

- 15 de junho: Os militares dos EUA anunciam o fim da fase de reforços militares, que elevaram o contingente a 160 mil soldados. Entre abril e fim de junho, 331 soldados americanos morrem no Iraque, no trimestre mais letal do conflito para os EUA

- 24 de junho: "Ali Químico", primo de Saddam, é condenado à morte pelo massacre de 182 mil curdos em 1988. Ele é executado em janeiro de 2010

- 20 de março: Ex-vice-presidente Taha Yassine Ramadan é enforcado

- 14 de agosto: Pelo menos 250 mortos em atentado na província de Ninawa, o mais sangrento desde a queda de Saddam

- 3 de setembro: Visita surpresa de Bush, que sugere uma possível retirada de soldados. Grã-Bretanha retira suas tropas de Basra. 

- 10 de setembro: O comandante dos EUA no Iraque, general David Petraeus, recomenda reduzir o contingente em mais de 20 mil soldados até meados de 2008

2008

- 2 de março: Visita histórica a Bagdá do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad

- 4-30 março: Confrontos em Basra entre o Exército e a milícia do líder xiita Moqtada al-Sadr deixam mais de 300 mortos

- 22 de julho: Os militares dos EUA dizem que as últimas cinco brigadas de combate adicionais enviadas em 2007 já deixaram o Iraque, restando no país 147 mil soldados americanos

- 17 de novembro: Iraque e EUA assinam acordo prevendo a desocupação militar até o final de 2011. O pacto pela primeira vez dá ao governo local autoridade sobre a missão dos EUA, substituindo um mandato do Conselho de Segurança da ONU. Dez dias depois, o Parlamento do Iraque aprova o acordo

2009

- 1º de janeiro: Pacto de segurança EUA-Iraque entra em vigor, colocando 140 mil soldados dos EUA sob a autoridade iraquiana. Iraque assume a segurança da Zona Verde de Bagdá, símbolo da ocupação americana

AFP
Obama reafirma compromissa de retirada do Iraque (02/08/2010)
- 27 de fevereiro: O novo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, estipula para agosto de 2010 o fim das missões de combate no Iraque, estabelecendo que permanecerão no país cerca de 50 mil militares para tarefas de formação e apoio aos soldados iraquianos até a retirada total, no final de 2011

- 30 de junho: Todas as unidades de combate dos EUA se retiram dos centros urbanos e se estabelecem em quartéis afastados

- 19 de agosto/25 de outubro/8 de dezembro: Atentados em Bagdá contra prédios do governo deixam 386 mortos

2010

- 4 de junho: Militares dos EUA dizem haver 88 mil soldados no Iraque

- 2 agosto: Obama confirma o fim da missão de combate em 31 de agosto

- 18 agosto: Última brigada de combate dos EUA se retira do Iraque rumo ao Kuwait. Segundo um alto funcionário do governo, há 56 mil soldados dos EUA no Iraque; desde o começo da invasão, os EUA tiveram 4.419 mortes de militares no país, segundo o Pentágono.

AP
Soldados da 4ª Brigada da 2ª Divisão de Infantaria do Exército dos EUA correm para cruzar a fronteira do Iraque com o Kuwait (18/08/2010)
- 31 de agosto: Com o fim oficial das operações de combate, contingente dos EUA cai para 49,7 mil. Acaba "Operação Liberdade", que começou em 2003

- 1º setembro: Início da "Operação Novo Amanhecer", na qual os soldados americanos que permanecerão no Iraque cumprirão missões de assessoria

*Com EFE, Reuters e AFP

    Leia tudo sobre: IraqueEUAretiradabarack obamacombate

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG