Cronologia dos golpes de Estado perpetrados nos últimos 10 anos

O presidente de Honduras, Manuel Zelaya, foi detido hoje por um grupo de militares e levado contra a própria vontade à Costa Rica.

EFE |

A recusa das Forças Armadas de colaborar com o presidente na consulta popular convocada para hoje - sobre uma iniciativa de Zelaya de reformar a Constituição - mantinha o país em uma situação de crise política há dias.

A consulta impulsionada por Zelaya tinha como objetivo perguntar à população se nas eleições de novembro deveria ser colocada uma urna para se decidir sobre a convocação de uma Assembleia Constituinte.

A oposição acredita que a iniciativa tem o propósito de perpetuar o presidente no poder.

Segue relação dos principais golpes de Estado perpetrados no mundo ao longo dos últimos dez anos: 1999.

- 9 de abril.- NÍGER.- Militares rebeldes assassinam o presidente do Níger, Ibrahim Mainasara, em um golpe de Estado.

- 29 de abril.- ILHAS COMORES. Exército toma o poder em um golpe de Estado sangrento nesse arquipélago do Oceano Índico, após crise suscitada pela secessão da ilha de Anjuan. O chefe do Estado-Maior anula a Constituição e dissolve instituições.

- 7 de maio.- GUINÉ-BISSAU. Exército derruba o presidente do país, João Bernardo Vieira, que se encontrava refugiado na Embaixada de Portugal.

- 12 de outubro.- PAQUISTÃO.- Chefe do Estado-Maior do Exército paquistanês, Pervez Musharraf, derruba o Governo de Nawaz Sharif.

2000.

- 21 de janeiro.- EQUADOR. Golpe cívico-militar, liderado por indígenas e oficiais - entre eles o coronel Lúcio Gutiérrez - depõe o presidente Jamil Mahuad.

- 5 de junho.- ILHAS SALOMÃO.- Milícia rebelde "Malaita Eagle Force" toma capital Honiara e força a renúncia do primeiro-ministro Batholemew Ulufa'alu. No dia 30 do mesmo mês, a Assembleia Nacional elege novo primeiro-ministro.

2002.

- 12 a 14 de abril.- VENEZUELA.- Presidente Hugo Chávez é afastado do poder por 48 horas, após um fracassado golpe cívico-militar. A reação dos "chavistas" na rua contribuiu para derrubar o Governo de transição do empresário Pedro Carmona.

2003.

- 16 de março.- REPÚBLICA CENTRO-AFRICANA. General François Bozizé se proclama presidente depois de os rebeldes que liderava terem tomado no dia anterior a capital do país, Bangui, à revelia do então presidente Ange-Félix Patassé.

- 14 de setembro.- GUINÉ-BISSAU.- Golpe militar destitui o presidente Kumba Ialá, acusado de arbitrariedades. Henrique Rosa é nomeado presidente interino.

2005.

- 1º de fevereiro.- NEPAL.- Rei Gyanendra dissolve o Parlamento pela segunda vez desde 2002, declara estado de emergência e assume todos os poderes sob pretexto de lutar contra rebeldes maoístas. Em abril de 2006, protestos populares o forçaram a restaurar o Parlamento.

- 3 de agosto.- MAURITÂNIA.- Presidente Maaouya Ould Sid'Ahmed Taya é deposto enquanto se encontrava no exterior.

2006.

- 19 de setembro.- TAILÂNDIA.- Golpe militar depõe o primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, enquanto este se encontrava no exterior, participando da Assembleia Geral da ONU.

- 5 de dezembro.- FIJI.- Comandante das Forças Armadas de Fiji, Frank Bainimarama, toma o poder, destituindo o Governo do primeiro-ministro Laisenia Qarase.

2008.

- 6 de agosto.- MAURITÂNIA. Militares tomam o poder e detêm o presidente Sidi Mohammed Ould Cheikh Abdallahi e o primeiro-ministro Yahya Ould Ahmed El Waghef, depois de o Governo anunciar a destituição do Estado-Maior do Exército. No dia 14 do mesmo mês, a Junta Militar nomeia Moulay Ould Mohammed Laghdaf como premiê.

2009.

- 17 de março.- MADAGASCAR. Líder opositor Andry Rajoelina, apoiado por um setor golpista do Exército, se autoproclama presidente da "Autoridade Suprema da Transição" em Madagascar.

Leia mais sobre: golpe de estado

    Leia tudo sobre: golpe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG