Cronologia de dois anos sem Fidel na vida pública

Havana - Fidel Castro completa amanhã - dia em que é lembrado o 55º aniversário da primeira ação armada da Revolução Cubana - dois anos sem aparecer em público, devido a uma doença que o obrigou a deixar a Presidência da ilha caribenha.

EFE |

Seu irmão caçula, Raúl Castro, assumiu o Executivo em fevereiro último.

Há dois anos Fidel Castro encerrava os atos pelo "Dia da Rebeldia Nacional" com dois discursos nas províncias do leste cubano - Granma e Holguín -, os últimos antes de sofrer um grave problema intestinal.

Cronologia

31/07/2006 : Pela primeira vez desde o triunfo da Revolução Cubana (janeiro de 1959), Fidel Castro delega provisoriamente seus cargos a Raúl, enquanto se recupera de uma delicada cirurgia.

13/08: Por ocasião do 80º aniversário de Fidel, o diário oficial "Juventud Rebelde" publica uma mensagem do líder junto com suas fotografias depois da operação, tiradas durante uma visita do presidente venezuelano, Hugo Chávez à ilha. Os cubanos vêem pela primeira vez Fidel na cama.

18/08: Raúl lança uma mensagem aos Estados Unidos e assegura que o Governo da ilha sempre esteve disposto a "normalizar as relações em um plano de igualdade".

11-16/09: Raúl é o anfitrião na 14ª Cúpula dos Países Não-Alinhados (Noal), embora oficialmente o chefe da delegação cubana seja Fidel Castro.

02/12: Fidel não assiste à reunião que ele mesmo tinha convocado para celebrar seu 80º aniversário.

02/12: Raúl, à revelia de Fidel, preside um desfile militar para homenagear - com atraso - os 80 anos do líder da Revolução Cubana e o 50º aniversário de criação das Forças Armadas.

27/02/2007 : Rádio venezuelana transmite uma conversa telefônica de 32 minutos entre Chávez e Fidel. A televisão cubana divulga o diálogo pouco depois.

29/03: Fidel publica na imprensa local o primeiro artigo de sua série denominada "Reflexões". Analisa, na ocasião, os riscos envolvidos na transformação de alimentos em combustíveis.

23/05: Fidel comenta pela primeira vez seu estado de saúde e revela que foi submetido a várias intervenções cirúrgicas. Também afirma que depois de ter usado cateteres para se alimentar, recebe por via oral tudo que sua recuperação requer.

05/06.- A TV cubana transmite a primeira entrevista concedida por Fidel em seus dez meses de convalescença, na qual conversa por cerca de 50 minutos sobre diversos temas e diz que sua doença não é um segredo de Estado.

18/06: Fidel revela que esteve "entre a vida e a morte" devido a sua doença, em uma nova "reflexão".

26/07: Raúl faz um discurso crítico sobre os problemas econômicos do país, aponta a necessidade de ajustes estruturais e oferece diálogo ao Governo americano que virá a substituir o de George W. Bush.

01/08: Coincidindo com o cumprimento de um ano de seu afastamento do poder, Fidel divulga uma nova "reflexão", na qual assegura que lutará sem descanso para se recuperar e descarta qualquer negociação com os EUA.

17/12: Fidel, escolhido candidato a deputado por Santiago de Cuba (leste), afirma, em comunicado lido na TV cubana, que seu dever não é "apegar-se a cargos", e sim "apresentar experiências e idéias".

15/01/2008 : Fidel reúne-se com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que viu o líder cubano "com uma lucidez incrível", uma saúde "impecável" e preparado para reassumir seu protagonismo político em Cuba.

20/01: Fidel e Raúl são reeleitos nos pleitos para a Assembléia Nacional do Poder Popular (Parlamento) e provinciais.

19/02: Fidel anuncia que não voltará a ocupar a Presidência cubana, após mais de meio século no poder.

24/02: Raúl é eleito presidente de Cuba, como sucessor de seu irmão Fidel.

28/03: A empresa telefônica estatal Etecsa anuncia que os cubanos, a título pessoal, poderão ter telefones celulares.

31/03: Governo suspende proibição que impedia os cubanos de hospedarem-se nos hotéis da ilha dedicados a turismo.

01/04: Governo autoriza a venda de vários artigos eletrônicos aos cidadãos cubanos, incluindo computadores.

01/04: Presidente da Associação Nacional de Pequenos Agricultores (Anap, em espanhol), Orlando Lugo Fonte, informa que o Governo entregará em usufruto todas as terras ociosas que forem solicitadas por cooperativas e particulares.

28/04: Em seu primeiro comparecimento oficial desde que foi eleito presidente, Raúl Castro anuncia o fim do caráter interino de seu Governo, condição em que a Administração se encontrava desde o adoecimento de Fidel. Também informou sobre a realização do 6º Congresso do Partido Comunista em 2009 e que seu Governo comutará a pena de morte no caso de vários presos comuns.

19/06: Fidel recebe o presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, depois de ter se reunido, dias antes, com Hugo Chávez.

19/06: União Européia (UE) suspende as sanções diplomáticas que ditou em 2003 contra o regime cubano, por causa da captura de 75 opositores condenados na ilha a penas de até 28 anos de prisão.

20/06: Fidel expressa em artigo seu "desprezo pela enorme hipocrisia" presente na decisão da UE de suspender as sanções contra a ilha, e sete opositores mais são detidos.

21/06: Fidel afirma que não lidera nenhuma "fração ou grupo" e que tampouco existem divisões internas no Partido Comunista de Cuba.

3-6/07: Cerca de 70 dissidentes são detidos temporariamente na maior operação policial realizada desde a chegada de Raúl Castro ao poder. O esquema denunciou "uma escalada de ações provocadoras organizadas e financiadas" pelos EUA, segundo o irmão caçula de Fidel.

09/07: Fidel reúne-se e almoça com o Nobel de Literatura colombiano Gabriel García Márquez e com a esposa deste, Mercedes. Diz ter vivido na ocasião as "horas mais agradáveis" desde que adoeceu.

11/07: Raúl se apresenta pela primeira vez como presidente ao Parlamento.

18/07: Raúl decreta a entrega de terras ociosas para mãos privadas em usufruto, e autoriza o retorno de professores aposentados às salas de aula cubanas.

Leia mais sobre: Cuba

    Leia tudo sobre: cubafidel castro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG