A última cúpula, da qual participarão os presidentes dos Estados Unidos e da Rússia, George W. Bush e Vladimir Putin, neste fim de semana, em Sochi (Rússia), busca reaproximar uma relação bilateral mais calma, depois das divergências dos últimos anos.

Seguem abaixo as principais etapas desses sete anos de relações russo-americanas durante as presidências de Bush, que deixará a Casa Branca em janeiro de 2009, e de Putin, que abandonará o Kremlin em maio do ano que vem.

- Em 16 de junho de 2001: Bush e Putin se reúnem pela primeira vez em Liubliana. Bush pronuncia uma frase que se tornaria célebre: "consegui sentir sua alma: é a alma de um homem profundamente devoto a seu país e aos interesses de seu país".

- Depois dos atentados de 11 de setembro de 2001, nos Estados Unidos, Vladimir Putin foi o primeiro, de acordo com a versão do Kremlin, a entrar em contato com Bush. Um gesto de solidariedade, mas a lua-de-mel dura pouco tempo.

- Em dezembro de 2001, os Estados Unidos anunciam que sairiam do Tratado antibalístico ABM, de 1972, para deixar o caminho livre para a criação de um polêmico escudo antimísseis americano.

Esse projeto consiste em instalar um radar na República Tcheca e mísseis antimísseis na Polônia. Moscou considera que isso prejudicaria seus interesses estratégicos.

- Em março de 2003, as forças americanas invadem o Iraque. A Rússia se opôs à guerra.

- Em março de 2004, as ex-repúblicas à beira do Báltico (Letônia, Lituânia e Estônia), aderiram à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

- Em 24 de fevereiro de 2005, durante uma cúpula em Bratislava, Bush e Putin se enfrentaram, energeticamente, sobre o estado da democracia na Rússia.

- Em 4 de março de 2006, o vice-presidente americano, Dick Cheney, faz um discurso crítico a Moscou e denuncia "o uso de gás e petróleo como instrumentos de manipulação e chantagem".

- Em 10 de fevereiro de 2007, Putin se pronuncia contra os Estados Unidos, ao afirmar que "sai de suas fronteiras nacionais em todos os âmbitos e isso é muito perigoso. Ninguém se sente mais seguro, porque ninguém pode encontrar amparo no Direito Internacional".

- Em julho de 2007, em Kennebunkport, nos Estados Unidos, Bush e Putin mostram "camaradagem" ao pescarem juntos, ainda que persistam as diferenças sobre o escudo antimísseis.

- Véspera de uma visita a Sochi, Bush disse que iria "visitar o presidente Putin para avisar, claramente, que a Guerra Fria já acabou e que a Rússia não é nossa inimiga", apesar de já haver expressado seu apoio à Ucrânia e à Geórgia para que entrem na Otan, contra a vontade de Moscou.

uh-vl/cl/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.