Crítico de violência policial é morto sob custódia na Rússia

O jornalista que criou um site para denunciar casos de violência policial na república russa da Ingushétia foi morto neste domingo, enquanto estava sob custódia policial. Magomed Yevloyev foi preso no aeroporto de Nazran, a principal cidade da Ingushétia, e levado em um veículo policial, segundo informações divulgadas no seu site.

BBC Brasil |

Autoridades russas disseram que vão investigar o que aconteceu. Relatos atribuídos a policiais dizem que Yevloyev tentou agarrar o revólver de um policial quando estava sendo transportado. Um tiro teria sido disparado acidentalmente e ferido Yevloyev na cabeça.

Aliados de Yevloyev dizem, porém, que a polícia simplesmente atirou nele e o jogaram à beira da estrada.

O jornalista foi levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

O site de Yevloyev fez duras críticas ao líder da Ingushétia, Murat Zyazikov, que havia chegado ao aeroporto no mesmo vôo que Yevloyev.

Em junho, uma ordem judicial determinou o fechamento do site, com o argumento de que disseminava o extremismo, mas o site voltou com outro nom (www.ingushetiya.ru/).

Após a morte de Yevloyev, uma mensagem foi colocada no site convocando as pessoas para um protesto em Nazran.

Região pobre e de maioria muçulmana, a Ingushétia faz fronteira com a Chechênia e também conta com um movimento de insurgência, com constantes emboscadas contra policiais e soldados.

Em junho de 2008, a organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch acusou as forças de segurança da Rússia de cometer abusos generalizados na região, incluindo prisões arbitrárias, desaparecimentos, tortura e execuções extra-judiciais.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG