Crítico de Bush, Paul Krugman ganha Nobel de Economia

Por Anna Ringstrom e Sven Nordenstam ESTOCOLMO (Reuters) - O economista Paul Krugman, crítico incisivo das políticas econômicas do governo Bush, recebeu nesta segunda-feira o prêmio Nobel de Economia por seu trabalho que explica por que alguns países dominam o comércio internacional.

Reuters |

O economista, colunista do jornal The New York Times e professor de Economia e Relações Internacionais na Universidade Princeton, era havia tempos um favorito para o prêmio. Mas, em teleconferência com jornalistas após o anúncio, ele deu a entender que estava surpreso.

"Corri para tomar um banho e poder participar da entrevista coletiva. Liguei para minha esposa e para os meus pais. Ainda não consegui tomar nem um café", contou.

A falta de cafeína, porém, não o impediu de fazer uma análise sobre a atual crise econômica. "Estamos testemunhando uma crise que é tão severa quanto a crise que atingiu a Ásia na década de 90. A crise guarda alguma semelhança com a Grande Depressão", afirmou.

Elogiando as iniciativas dos líderes mundiais contra a sangria financeira, ele disse estar "ligeiramente menos aterrorizado do que na sexta-feira."

Após uma sexta-feira terrível nos mercados financeiros, autoridades das principais economias mundiais se reuniram no fim de semana para definir medidas radicais destinadas a salvar bancos, recuperar a liquidez e combater uma eventual recessão global.

Krugman habitualmente faz duras críticas ao governo Bush que, segundo ele, ajudaram a provocar o atual colapso por sua aversão a regulamentações e por sua política fiscal indisciplinada.

A Real Academia Sueca de Ciências disse que o prestigioso prêmio de 10 milhões de coroas (1,4 milhão de dólares) é um reconhecimento pela teoria, criada por Krugman, sobre os motores da urbanização mundial.

"Ele portanto integrou os campos de pesquisa previamente díspares do comércio internacional e da geografia econômica", disse o comitê. "A abordagem de Krugman se baseia na premissa de que muitos bens e serviços podem ser produzidos de forma mais barata em uma série longa, um conceito geralmente conhecido como economia de escala."

"Enquanto isso, os consumidores exigem uma variedade de bens. Como resultado, a produção em pequena escala para um mercado local é substituída pela produção em grande escala para o mercado mundial, onde empresas com produtos similares competem entre si."

Nascido em 1953 em Nova York, Krugman doutorou-se pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e leciona desde 2000 em Princeton. Ele já foi colaborador da prestigiosa revista Foreign Affairs e é artigo de mais de 20 livros e 200 trabalhos acadêmicos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG