Buenos Aires, 11 jan (EFE).- A presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, recebeu alta médica após ter sofrido uma lipotimia (desmaio) por desidratação, indisposição que hoje gerou uma onda de rumores sobre seu estado de saúde na imprensa do país.

"A presidente está recuperada. Todos os seus padrões básicos e sinais vitais são normais. Já dei alta a ela", disse o chefe da Unidade Médica Presidencial, Luis Buonomo, em declarações publicadas neste domingo pelo jornal "Clarín", de Buenos Aires.

Cristina, de 55 anos, descansa na residência presidencial de Olivos, nos arredores de Buenos Aires, e deve retomar sua atividade oficial na terça-feira.

Na quinta e na sexta-feira, a chefe de Estado teve que cancelar sua presença em atos públicos. Além disso, por recomendação médica, adiou por uma semana uma visita oficial a Cuba e à Venezuela.

A presidente foi diagnosticada com "quadro de lipotimia associada a uma leve desidratação, sem causas orgânicas, ocasionada pelas altas temperaturas desta época", diz o relatório oficial divulgado pelos médicos.

No entanto, a indisposição de Cristina despertou uma onda de rumores sobre seu estado de saúde na imprensa, que hoje fala que ela poderia estar com anemia, estresse, depressão ou até sofrendo de complicações derivadas de uma cirurgia estética.

A hipótese de um quadro de estresse foi levantada pelo próprio marido da presidente, Néstor Kirchner, que ao confirmar a "descompensação" da mulher na quinta-feira, disse aos jornalistas que "o que acontece é que Cristina trabalha 23, 24 horas".

O jornal "La Nación" deste domingo diz que a chefe de Estado "mal se levanta" da cama e "ainda está fraca para retomar suas caminhadas por Olivos".

Citando uma fonte do alto escalão, a publicação assegura que a "descompensação" sofrida na quinta-feira por Cristina "foi mais grave do que se comunicou oficialmente", razão pela qual os médicos foram chamados de urgência e recomendaram uma internação, descartada pela governante.

Para o jornal "Perfil", de Buenos Aires, a presidente argentina "perdeu sais devido a uma dieta para emagrecer", quadro que se complicou por causa do estresse, embora outras fontes tenham dito à publicação que nos últimos dias Cristina também teria apresentado "leves sintomas de depressão".

Já o "Crítica" disse que os problemas de saúde da governante estariam relacionados "a algum tipo de complicação" provocada "por alguma intervenção estética", versão que foi desmentida pelos colaboradores da chefe de Estado.

O médico e jornalista Nelson Castro, autor do livro "Enfermos del Poder" ("Doentes do Poder", em tradução livre), analisou o boletim médico oficial de lipotimia por desidratação leve.

"Em primeiro lugar, me chama a atenção que a causa tenha sido o calor. Primeiro, porque na quinta-feira (Cristina) esteve em Olivos, e não acho que lá não tenha um ar condicionado. Em segundo lugar, ela sempre aparece com uma garrafa de água mineral e tem o hábito de tomar muito líquido. Alguém tem que pensar se não há outra causa", disse Castro ao "Clarín". EFE nk/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.