BUENOS AIRES (Reuters) - A presidente argentina, Cristina Kirchner, disse na segunda-feira que não vê mudanças em seu ministério como consequência da derrota eleitoral sofrida pelo seu governo nas eleições legislativas de meio de mandato. Não vejo que tenha que fazer alguma mudança no gabinete por conta dos resultados nas eleições, disse ela em sua primeira aparição pública após a derrota de domingo.

Na segunda-feira a ministra da Saúde, Graciela Ocaña, renunciou ao cargo em meio à crescente epidemia de gripe H1N1, mas a saída dela não tem relação com a derrota da situação, que perdeu a maioria no Congresso.

(Reportagem de Damián Wroclavsky)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.