Estamos ante o fim de um ciclo político e histórico - Mundo - iG" /

Cristina Fernández: Estamos ante o fim de um ciclo político e histórico

Washington, 15 nov (EFE).- A presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, afirmou hoje que a crise financeira mundial não é apenas uma crise econômica, mas marca o fim de um ciclo histórico e político.

EFE |

Em declarações à imprensa após a Cúpula de Chefes de Estado e de Governo do Grupo dos Vinte (G20, que reúne os países mais ricos e os principais emergentes), realizada em Washington, ela disse que a Argentina destacou neste fórum a necessidade de estabelecer uma nova regulação internacional e reformar as entidades multilaterais de crédito.

A presidente argentina afirmou que o desenvolvimento do capitalismo gerou o aparecimento de novos atores, como as corporações financeiras que, segundo disse, "muitas vezes têm mais poder que os próprios Estados".

Cristina disse que estas corporações "tomam decisões que atingem não apenas a estabilidade financeira de uma economia, mas a qualidade de vida das sociedades", por isto insistiu na necessidade de sua regulamentação.

"A mesma vontade que foi colocada para regulamentar o uso dos capitais em matéria de narcotráfico e terrorismo deve ser colocado também quanto aos fundos que se deslocam de um país para outro, provocando desestabilizações econômicas e financeiras", declarou.

Segundo a presidente argentina, se passou "do estatismo excessivo" antes da queda do Muro de Berlim "para um tipo de libertação dos mercados que terminou sendo muito pernicioso".

Por isto, afirmou que esta crise marcará um antes e um depois no panorama internacional. "Não estamos diante de uma crise de caráter financeiro, mas ante o fim de um ciclo político e histórico que tinha como eixo as auto-regulações dos mercados e o desaparecimento do Estado", afirmou.

Além disso, afirmou que é necessário seguir á frente da crise global e prestar uma atenção especial "à economia real" e que agora a chave está em manter a estabilidade e o emprego dos cidadãos para conseguir ter uma demanda e um consumo sustentável. EFE elv/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG