todos os setores para diálogo; oposição elogia iniciativa - Mundo - iG" /

Cristina convoca todos os setores para diálogo; oposição elogia iniciativa

Buenos Aires, 9 jul (EFE).- A presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, convidou hoje todos os setores ao diálogo, aparentemente pressionada pela oposição e os líderes do peronismo, que desde a recente derrota do Governo nas eleições legislativas cobram uma maior abertura deste.

EFE |

Horas depois, líderes da oposição comemoraram a convocação, mas pediram que a presidente especifique os pontos da agenda de diálogo.

Na província de Tucumán (noroeste), onde liderou um ato em comemoração à independência do país, Cristina disse que "é hora" de discutir uma ampla reforma política para assegurar a estabilidade democrática.

"Devemos convocar todos os setores para o mais amplo diálogo. É preciso ter amplitude para convocar e ouvir todos, e ver a viabilidade das propostas que se aproximam do Governo", acrescentou.

Nesse sentido, disse que convocará para uma mesa de diálogo "todos os atores sociais", "já que não há possibilidades de debates parciais".

"A fase que o mundo vive, de crise muito profunda, vai exigir um grande esforço de todos no diálogo e na possibilidade de realização efetiva para que a economia continue fazendo o que deve, que é conseguir o bem-estar do conjunto da sociedade, e não dos setores com maior 'lobby'", afirmou.

"É um avanço", disse o deputado Federico Pinedo, da conservadora Proposta Republicana, ao comentar a oferta de diálogo.

Segundo Pinedo, o Parlamento é o cenário natural para aprofundar o diálogo e o partido que representa "fará sua contribuição" na busca por consensos.

"Tomara que o Governo realmente tenha essa atitude interna de sentar-se para ouvir o outro e respeitá-lo", frisou.

Adrián Pérez, da Coalizão Cívica, concordou com Pinedo quanto ao papel que o Parlamento pode ter e desejou que o diálogo seja "sincero" e tenha "uma verdadeira vocação".

Mais enérgico foi o titular da União Cívica Radical, Gerardo Morales, que pediu que Cristina seja mais específica sobre os temas que quer debater e as pessoas que convidarão para conversar.

"Que (a presidente) diga quem está convocando e de que temas vai tratar", disse o senador, segundo quem o diálogo "é esperado por toda a sociedade" desde a derrota do Governo nas eleições legislativas. EFE cw/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG