Cristãos festejam o Natal no local de nascimento de Jesus

Milhares de cristãos chegavam nesta quinta-feira a Belém, cidade natal de Jesus segundo as escrituras, para celebrar o Natal, apesar das restrições causadas pela ocupação israelense, que todos os anos dificulta a celebração de uma das festas mais importantes do cristianismo.

AFP |

Um desfile de escoteiros ao som de flautas, tambores e gaitas marcaram o início das festividades na Praça do Pesebre, em frente à Basílica da Natividade.

A multidão presente em Belém espera pela entrada solene do patriarca latino de Jerusalém, o Monsenhor Fuad Twal, à frente de uma procissão que sairá da Cidade Santa.

O patriarca celebará a missa do Galo, tradicional missa da meia-noite, na igreja de Santa Catalina, vizinha à Basílica da Natividade, na presença do presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, de seu primeiro-ministro, Salam Fayyad, e dos cônsules gerais da Cidade Santa.

"Aqui, Deus nos deu seu filho e é um momento privilegiado para mim encontrar com toda a comunidade", disse à AFP Juan Cruz, um mexicano de 27 anos.

O retorno dos peregrinos pelo terceiro ano consecutivo estimulou a economia de Belém, que foi gravemente afetada pela segunda intifada palestina iniciada em setembro de 2000.

A calma impera na cidade e o exército israelense se abstém de entrar nesta área, dotada de autonomia, mas as barreiras militares na entrada da cidade de Belém e o muro que separa a cidade de Jerusalém Oriental são o claro lembrete da ocupação israelense.

"Nos preparamos para receber os peregrinos com luzes e guirlandas, mas nossa pequena cidade, que deveria ser um símbolo de amor e paz, continua esperando pela paz", lamentou o prefeito de Belém, Victor Batarseh.

Segundo a ministra palestina do Turismo Julud Duaibess, em 2009 Belém recebeu a visita de 1,6 milhão de turistas. Para a missa da meia-noite, são esperados 15.000 peregrinos.

Nesta quinta-feira, o Vaticano anunciou que, inusitadamente, o papa Bento XVI celebrará a missa do Galo às 22H00 no horário local (21H00 GMT), duas horas antes do habitual, para evitar um cansaço excessivo ao pontífice de 82 anos.

O novo horário, pelo qual a missa terminará pouco antes da meia-noite, tem como objetivo "tornar menos cansativos os dias de Natal, nos quais o papa tem vários compromissos", como a missa na manhã do dia 25, indicou o padre Lombardi, porta-voz de Bento XVI, desmentindo que o pontíficie estivesse passando por problemas de saúde.

gr-ms/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG