Cristãos de Gaza cancelam festejos de Natal devido ao bloqueio israelense

Gaza, 24 dez (EFE).- Os palestinos cristãos da Faixa de Gaza não celebrarão este ano o Natal nem terão Missa do Galo, em protesto contra o bloqueio israelense e as ameaças de uma invasão do território palestino, anunciou hoje o pároco da Igreja Latina de Gaza, Manuel Musalam.

EFE |

Em comunicado, Musalam pediu aos fiéis e a seus amigos muçulmanos que se reúnam esta noite na Escola da Sagrada Família, administrada por sua congregação, para assistir a uma missa sem sermão, em vez de ir à Igreja Latina.

A presença cristã na Faixa de Gaza é pequena (cerca de 4 mil dos 1,5 de habitantes) e majoritariamente de rito greco-ortodoxo, mas alguns seguem o calendário latino.

Segundo fontes do grupo, cerca de 800 cristãos de Gaza pediram às autoridades israelenses permissão para assistir à Missa do Galo na cidade cisjordaniana de Belém, onde a tradição situa o nascimento de Cristo.

No entanto, o Estado judeu - cujo território separa geograficamente Gaza da Cisjordânia - só concedeu 280 permissões e negou as outras, acrescentaram as fontes.

"A anulação da missa da meia-noite em Gaza é também em protesto contra a decisão de Israel de negar as autorizações para ir a Belém", disse Musalam.

Israel impõe um severo bloqueio à Faixa de Gaza desde que, em junho de 2007, o movimento islâmico Hamas assumiu o controle desse território, após expulsar às forças leais ao presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.

Desde então, as autoridades hebréias só permitem as saídas de Gaza em alguns casos, inclusive de doentes ou famílias divididas.

Por outro lado, Israel facilitará neste Natal o movimento da população árabe cristã entre Cisjordânia (onde fica Belém) e Israel, lar de 110 mil árabes cristãos, a metade em Nazaré. EFE sar-ap/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG