Cristãos acusados de blasfêmia são mortos em frente a tribunal

Dois irmãos acusados de criar panfleto contra Islã foram assassinados no Paquistão

EFE |

Dois irmãos cristãos acusados de terem escrito um panfleto blasfematório sobre o Islã e o profeta Maomé foram assassinados nesta segunda-feira no leste do Paquistão, anunciou a polícia local.

Um jovem não identificado matou a tiros Rashid Emmanuel, de 32 anos, e seu irmão Sajjad, ferindo gravemente o policial que os escoltava quando deixavam um tribunal em Faisalabad, indicou uma autoridade da polícia, Amanula Khan.

Os dois irmãos tinham sido detidos no dia 2 de julho sob acusações "falsas", segundo algumas pessoas no local.

"As acusações contra eles são falsas. Não há prova alguma e não há testemunha", denunciou Atif Jamil Pagaan, porta-voz da Fundação Democrática das Minorias do Paquistão, acrescentando que os panfletos foram escritos à mão, fotocopiados e distribuídos anonimamente.

No início do mês, cerca de 400 manifestantes protestaram no bairro Pura, de Faisalabad, pedindo a pena de morte para os dois acusados. Pura é um bairro pobre de Faisalabad com uma comunidade cristã de cerca de 100.000 pessoas. A polêmica lei paquistanesa sobre blasfêmia prevê até a pena de morte, mas nunca foi aplicada.

    Leia tudo sobre: islãpaquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG