Crise: Solbes adverte que plano europeu não tem efeito imediato

O ministro da Economia espanhol, Pedro Solbes, disse em Bruxelas que a queda das bolsas nesta quarta-feira depois de dois dias de altas é reflexo de uma confiança que não se recupera da noite para o dia e que as ajudas públicas aos bancos não têm efeito imediato.

AFP |

"Vimos nas últimas horas que não é decisão com efeito direto, nem sequer válida de imediato", disse o número três do governo espanhol na cúpula européia de Bruxelas, referindo-se a medidas de ajuda ao setor bancário.

"Estes processos não são lineares nem automáticos. Quero dizer com isso que a confiança não vai ser recuperada da noite para o dia", sentenciou, antecipando novas grandes quedas nas bolsas.

Solbes acompanha o presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, numa cúpula de chefes de Estado e de Governo da União Européia, nesta quarta e na quinta-feira, durante a qual deverão ser ampliadas aos 27 países do bloco as medidas estabelecidas domingo em Paris pelos 15 países da zona euro.

As discussões dos 27 prosseguirão nesta quinta-feira, depois de a República Tcheca ter apresentado algumas objeções, segundo fontes diplomáticas.

"Diria que existe um consenso generalizado em relação à extensão das medidas" aos 27, e "espero que isso se refletirá nas conclusões", disse Solbes.

al-mar/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG