A crise política na Ucrânia reduz consideravelmente as chances de sua adesão à Otan, afirmou nesta sexta-feira a primeira-ministra, Yulia Timoshenko.

"A retirada unilateral do presidente e de sua equipe da coalizão reduz consideravelmente as possibilidades de a Ucrânia percorrer seu caminho euroatlântico", afirmou em entrevista com seu colega polonês Donald Tusk.

A coalizão pró-ocidental no poder em Kiev, que reunia o partido do presidente Viktor Yushchenko e o Bloco de Timoshenko, se dissolveu terça-feira, provocando uma nova tempestade política no país.

ant-vl/lm/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.