Crise pode levar mais 90 milhões de pessoas à extrema pobreza

Washington- A crise econômica global levará de 55 milhões a 90 milhões de pessoas à extrema pobreza neste ano, alerta um novo estudo conjunto do Banco Mundial (BM) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgado nesta sexta-feira.

EFE |

Segundo os números mais recentes, mais de 1,3 bilhão de pessoas vivem nesta situação nos países em desenvolvimento, o equivalente a 25% de sua população.

O "Relatório Sobre Acompanhamento Global 2009" adverte para uma situação de "emergência" e que mais 1 bilhão de pessoas sofrerão de fome crônica devido à "grande recessão" que castiga o planeta.

O estudo é divulgado às vésperas da reunião semestral conjunta do Banco Mundial e do FMI, que será realizada neste fim de semana, em Washington.

Segundo ele, a contração econômica mundial reverterá as conquistas na luta contra a desnutrição e tornará "especialmente urgente" a necessidade de investir no setor agrícola.

A análise alerta que ao ritmo atual os países em desenvolvimento serão incapazes de alcançar a maioria dos oito objetivos estabelecidos durante a Cúpula do Milênio da Organização das Nações Unidas (ONU) do ano 2000, em Nova York.

Leia também:

Leia mais sobre FMI e Bird

    Leia tudo sobre: fmi e bird

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG