Crise na Bolívia: número de mortos chega a quatro

Pelo menos quatro pessoas morreram em confrontos entre partidários do governo e da oposição, nesta quinta-feira, no departamento boliviano de Pando, fronteiriço com o Brasil, informou um boletim oficial, enquanto rádios locais falam em nove óbitos.

AFP |

"Por informações preliminares (...) houve confrontos entre camponeses e membros do governo estadual, tendo como resultado (...) quatro vítimas fatais", informou o vice-ministro do Regime Interior, Rubén Gamarra, em uma entrevista coletiva.

Segundo a autoridade, os falecidos seriam um engenheiro, funcionário do departamento governado pelo opositor Leopoldo Fenández; um vereador do município de Porvenir, cidade próxima do local onde houve o conflito; e dois camponeses.

Um dos camponeses morreu atropelado durante a confusão e o outro foi agredido, informou o vice-ministro.

Os incidentes foram registrados na comarca de Porvenir, 30 km ao leste da cidade de Cobija, capital do departamento de Pando, quando grupos civis e funcionários do governo de oposição chegaram à zona para impedir uma reunião de camponeses ligados ao presidente Evo Morales.

Emissoras de rádio locais relataram que o número de mortos já chega a nove e que os familiares das vítimas que trabalhavam no governo teriam feito de reféns dois policiais que protegiam o hospital.

Os familiares das vítimas também estariam armados com pedaços de pau e pedras, em busca dos supostos culpados.

"Realmente, foi muito violento o momento que se viveu lá. Disparos por todo lado, há várias pessoas feridas", informou à rádio estatal Patria Nueva um chefe policial de Pando, que fez uma inspeção no local.

Em cinco dos nove departamentos da Bolívia, acontecem protestos contra o presidente Evo Morales em repúdio à sua proposta de aprovar a nova Constituição, por referendo, em janeiro, e pela devolução dos royalties provenientes dos recursos energéticos.

rb/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG