Crise global pode afetar reformas em Cuba, diz Raúl Castro

O presidente de Cuba, Raúl Castro, disse nesta sexta-feira que o ritmo de reformas cruciais para o país poderá ser afetado pela crise econômica mundial, com a alta dos preços dos alimentos e do petróleo. Em um discurso na Assembléia Nacional de Cuba, transmitido ao vivo pela TV, o líder cubano disse que reformas importantes, como o aumento nos salários, poderão ter de esperar.

BBC Brasil |

"Vai depender da situação econômica do país, inevitavelmente ligada à crise mundial, que pode se agravar", disse Castro. "Não seria ético criar falsas expectativas."

O presidente cubano disse também que está prevista uma redução nos subsídios. Segundo o correspondente da BBC em Havana, Michael Voss, o presidente não deu detalhes, mas essa medida pode incluir racionamento de comida, já que em Cuba a compra de alguns alimentos da cesta básica, como arroz, feijão e óleo de cozinha, é subsidiada.

O discurso foi feito na primeira sessão da Assembléia Nacional desde a oficialização de Raúl Castro na Presidência, em fevereiro.

Raúl Castro já governava Cuba interinamente desde julho de 2006, quando seu irmão, Fidel Castro, teve de se afastar da Presidência por motivos de saúde.

Durante o discurso, Raúl Castro sentou-se ao lado de uma cadeira vazia, reservada para Fidel, que não é visto em público desde que se afastou do poder.

Igualdade

Em seu discurso, Castro disse que "o socialismo significa igualdade de direitos e oportunidades, não de renda".

No mês passado, o governo cubano anunciou o prazo para a eliminação do igualitarismo salarial (em vigor desde em 1959) e a substituição desse sistema por uma gestão na qual o pagamento será feito com base em rendimento e produtividade.

Desde que assumiu o poder oficialmente, Raúl Castro introduziu uma série de reformas na ilha.

O governo já anunciou a permissão para que cubanos se hospedem em hotéis antes destinados exclusivamente a estrangeiros e permitiu que a população tenha acesso irrestrito a telefones celulares, eletrodomésticos, DVDs e computadores.

Também anunciou a distribuição de terras estatais ociosas a cooperativas e produtores privados, em uma medida destinada a impulsionar a produção de alimentos, café e fumo.

Leia mais sobre: Raúl Castro

    Leia tudo sobre: raúl castro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG