Crise faz preço de vinhos finos despencar

A crise econômica mundial está provocando uma forte queda no preço de alguns dos vinhos mais caros do mundo. Alguns dos vinhos mais cobiçados por especialistas perderam até um quarto do seu valor desde o começo da recessão em alguns países ricos, na metade do ano.

BBC Brasil |

Segundo a empresa britânica Berry Brothers and Rudd (BBR), o preço de uma caixa do famoso vinho francês Chateau Lafite Rothschild, da região de Bordeaux, caiu cerca de 25% no verão europeu.

Em julho, uma caixa com 12 garrafas custava US$ 15,7 mil (cerca de R$ 35 mil, ou R$ 1.850 por garrafa). Neste mês, a mesma caixa sai por US$ 11.790 (aproximadamente R$ 26 mil).

Nos últimos anos, os vinhos tintos das regiões de Bordeaux e Borgonha têm sido muito procurados por milionários chineses. Mas segundo a BBR, que tem lojas em Xangai, Hong Kong e Macau, a queda da demanda e do preço dos vinhos finos está acontecendo em todo o mundo.

"Se estamos vendo agora os preços no seu nível mais baixo, ninguém sabe", disse o diretor de vinhos finos da BBR, Simon Staples.

"A demanda [por vinhos finos] caiu desde o verão com o agravamento dos problemas econômicos. Eu acho que muitos dos nossos clientes ainda conseguem comprar [os vinhos mais caros], mas em vez disso, com os problemas globais, eles estão atualmente mais preocupados em administrar os seus negócios e investimentos financeiros."
Vinhos de supermercado
Uma pesquisa com consumidores na Grã-Bretanha afirma que a demanda por vinhos também está caindo em outras categorias de preço.

Segundo a associação britânica de vinho e bebidas alcoólicas, a única faixa que teve aumento na demanda é a mais barata - de menos de 5 libras (cerca de R$ 16) por garrafa.

Os supermercados estão respondendo a essa tendência com descontos nos vinhos mais caros.

Na rede de supermercados Asda, uma das mais barateiras da Grã-Bretanha, houve aumento na procura por uma promoção que oferece três garrafas por 10 libras (R$ 33).

Redes de preços tradicionalmente mais baratos, como Asda e Lidl, afirmam que o aumento na venda de vinhos segue também um crescimento geral nas suas vendas, já que em tempos de recessão os consumidores procuram supermercados que oferecem preços menores.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG