Crise faz montadora francesa fechar fábrica por duas semanas

A montadora Renault anunciou nesta sexta-feira que fechará quase todas suas fábricas na França por pelo menos uma ou duas semanas para ajustar sua produção aos estoques elevados, decorrentes da queda nas vendas nos últimos meses. Algumas fábricas na Europa também deverão interromper a produção por alguns dias.

BBC Brasil |

"A crise afeta particularmente a indústria automobilística. O problema dos estoques é um dos pontos delicados dessa crise", afirmou Patrick Pélata, diretor-geral de operações da Renault, o novo número dois da empresa.

Segundo Pélata, a Renault deverá reduzir a produção em 20% até o final do ano. A empresa já havia anunciado anteriormente 6 mil demissões na Europa, onde os estoques estão mais altos.

Ações em queda
A Renault estima que em 2008 suas vendas no mercado europeu poderão cair 8% em relação ao ano passado.

Mesmo alguns mercados emergentes, como a Rússia e a China, começam a dar sinais de desaceleração nas vendas.

As ações da montadora francesa despencaram nesta sexta-feira na bolsa de Paris, registrando queda de cerca de 20%, uma das maiores baixas do pregão.

Na quinta-feira, as ações da Renault já haviam perdido 7,15% após o anúncio de seus resultados trimestrais, que indicaram queda de 2,2% no faturamento no terceiro trimestre de 2008, totalizando 9,14 bilhões de euros.

A Renault também anunciou uma previsão de redução da margem operacional para 2,5% a 3% em 2008. A estimativa anterior, no início do ano, era de 4,5%.

Outra montadora francesa, a PSA Peugeot Citroën, a maior da França, também anunciou nesta sexta-feira que reduzirá fortemente a produção até o final do ano.

O estoque do grupo atingiu no final de setembro 677 mil carros. No mesmo período do ano passado, o volume era de 566 mil.

Christian Streiff, presidente do grupo PSA, disse nesta sexta que a companhia irá "realizar reduções maciças da produção em todas as fábricas da Europa" no quarto trimestre deste ano.

A companhia também informou que dará continuidade à política de aumento dos preços.

As vendas do grupo registraram forte queda de 10,7% na Europa no terceiro trimestre de 2008, segundo resultados anunciados nesta sexta-feira.

O faturamento caiu 5,2% no terceiro trimestre, passando a 13,3 bilhões de euros.

O grupo Peugeot Citroën também indica uma "desaceleração do crescimento nos mercados de países emergentes".

"O grupo prevê uma forte redução, de 17% nas vendas na Europa no quarto trimestre do ano e de 8% no total nesse mercado em 2008", informou a empresa nesta sexta.

"Nesse contexto de forte deterioração da situação econômica no segundo semestre de 2008, o grupo prevê uma queda de 3,5% em suas vendas mundiais neste ano na comparação com 2007", diz o comunicado do grupo PSA.

As ações da companhia também despencaram nesta sexta na bolsa de Paris, registrando queda de 12% na abertura do pregão, após o anúncio dos resultados trimestrais.

A redução do crédito causado pela crise financeira degradou ainda mais a situação das montadoras européias, que já vinham registrando queda nas vendas no continente nos últimos meses.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG