Crise econômica pode representar alívio para planeta, diz Nobel de Química

A desaceleração da economia mundial pode trazer alívio para um planeta sufocado pelas emissões de gás carbônico responsáveis por alterar o clima, afirmou nesta terça-feira o cientista Paul J. Crutzen, ganhador do Prêmio Nobel.

Redação com Reuters |

Crutzen, que já aventou no passado a possibilidade de bombardear a atmosfera com partículas de enxofre a fim de esfriar a Terra, disse que as nuvens negras formadas sobre a economia mundial poderiam tornar menos pesado o fardo ambiental carregado pelo planeta hoje em dia.

Uma menor expansão da economia no mundo todo ajudaria a brecar a emissão de gases do efeito estufa e provocaria uma utilização mais cuidadosa dos recursos energéticos. De outro lado, porém, a crise econômica poderia desviar os esforços do combate às mudanças climáticas, afirmou Crutzen, vencedor do Prêmio Nobel de Química em 1995 por seu trabalho sobre a diminuição da camada de ozônio.

"Isso é algo cruel de se dizer. Mas, se olharmos para a desaceleração da economia, haverá menos combustíveis fósseis queimando, de modo que, para o clima, isso representaria uma vantagem", disse o cientista em entrevista concedida à Reuters.

"Poderíamos verificar um acúmulo muito mais lento de gás carbônico na atmosfera. As pessoas começariam a poupar (mais energia). Mas as coisas também podem piorar, já que haveria menos dinheiro para a pesquisa e isso seria algo grave."

    Leia tudo sobre: crise econômicanobel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG