Basta dar alguns passos pelas ruas de Londres para se deparar com uma placa de casa ou apartamento à venda ou para alugar. De acordo com o diretor de pesquisas da agência imobiliária Savills, Lucian Cook, isso é reflexo da queda nas vendas, gerada pela incerteza econômica que acometeu a população desde o estouro da crise financeira, em setembro.

Com isso, os preços dos imóveis vêm caindo e, segundo previsões da Savills, devem continuar perdendo valor até o fim de 2009.

Uma típica casa com dois a três quartos em um bairro bom e central de Londres, como Islington, por exemplo, custava, em média, 480 mil libras (o equivalente a cerca R$ 1,7 milhão) em dezembro de 2007.

Por causa da turbulência dos últimos meses, os preços dos imóveis caíram cerca de 16% este ano, portanto, a mesma casa pode ser encontrada atualmente no mercado por cerca de 415 mil libras (cerca de R$ 1,5 milhão).

A desvalorização deve ser ainda maior nos imóveis mais caros, em bairros chiques como Kensington e Chelsea, que devem custar 30% menos no fim de 2009.

"Os empregados no sistema financeiro, que costumavam investir no mercado imobiliário, estão temerosos em perder o emprego e com a falta de bônus no fim do ano, portanto, eles saíram do mercado", explica Cook para explicar a queda na procura de propriedades caras.

Porém, o que mais tem espantado o comprador é a dificuldade em conseguir um financiamento.

"A falta de acesso a financiamento é, sem dúvida, o principal problema. Se antes você precisava pagar uma entrada de 10% do valor do imóvel, agora os bancos exigem um pagamento inicial entre 25% e 30%", afirmou Cook.

Com isso, o sonho da casa própria ficou mais distante da maioria da população, que resolveu seguir pagando aluguel.

"Quem precisa mudar de casa agora está recorrendo ao mercado de aluguel e por causa do fracasso em vender muitas casas, elas acabam sendo alugadas, o que também está pressionando os preços dos aluguéis para baixo."
A Savills diz que a melhor época para comprar um imóvel é no fim de 2009, quando os preços devem estar em seu nível mais baixo.

"2010 deve ser um ano devagar, mas gradualmente, quando a crise for se abrandando e o mercado de financiamento voltar a ficar mais acessível, as pessoas vão conseguir comprar, o que vai permitir que o mercado se recupere em 2011", prevê Cook.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.