Crise de confiança impede processo de paz no O.Médio, diz ONU

Nações Unidas, 14 abr (EFE).- A ONU assegurou hoje que uma crise de confiança entre israelenses e palestinos impede por enquanto a retomada do processo de paz no Oriente Médio, apesar dos esforços dos Estados Unidos para iniciar um diálogo indireto entre as partes.

EFE |

"A situação na região continua sendo frágil. A crise de confiança entre as partes impediu até agora o reatamento do diálogo", avaliou em reunião do Conselho de Segurança o subsecretário-geral para Assuntos Políticos da ONU, Lynn Pascoe.

Segundo ele, as Nações Unidas manterão os esforços por meio do Quarteto para o Oriente Médio - formado por ONU, Estados Unidos, Rússia e União Europeia - para promover os contatos entre israelenses e palestinos.

No entanto, Pascoe considerou "um fato preocupante" a ordem israelense que entrou em vigor na terça-feira de outorgar a seus comandantes militares o poder para despejar "uma ampla categoria de indivíduos" que não considerem residentes da Cisjordânia.

"Isso pode ter o efeito de permitir que as autoridades israelenses deportem essas pessoas, o que já provocou uma forte reação entre os palestinos e os países árabes", advertiu o subsecretário.

Segundo ele, permanece em vigor a paralisação parcial das atividades nos assentamentos israelenses, apesar de "algumas violações", e continuam os processos de despejo de palestinos em Jerusalém Oriental.

Pascoe ressaltou que a posição israelense descumpre o compromisso estabelecido no Mapa de Caminho de impor uma paralisação total da expansão dos assentamentos. Ele lembrou que "toda atividade nos assentamentos é ilegal e deve ser detida".

Por outro lado, o funcionário indicou que houve avanços "moderados" nas negociações com as autoridades israelenses para permitir a entrada de uma maior quantidade e variedade de produtos à Faixa de Gaza, que permanece bloqueada desde junho de 2007. EFE jju/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG