Crise aumenta risco político em 8 países europeus, diz estudo

A crise econômica global provocou uma queda na estabilidade mundial e colocou oito países europeus em posição de maior risco de instabilidade política, segundo uma pesquisa da seguradora americana Aon Corp, uma das maiores do mundo. Estônia, Grécia, Hungria, Islândia, Letônia, Lituânia, Eslováquia e Eslovênia caíram na escala de segurança da Aon - de baixo risco para médio-baixo risco - por causa da sua vulnerabilidade à crise.

BBC Brasil |

O Brasil segue na categoria de médio-baixo risco. Na América Latina, o país de menor risco é o Chile. Na mesma categoria que o Brasil, a segunda de menor risco, estão também México e Costa Rica.

A cada ano, a empresa avalia as possibilidades de que vários países do mundo venham a sofrer guerras, atos de terrorismo, greves, rebeliões, interferência política e outros problemas, além da probabilidade de que dêem um calote em suas dívidas ou que tenham sua cadeia de fornecimento afetada.

Mas, segundo a seguradora, em 2009 a previsão de riscos reflete especialmente o impacto da crise econômica.

'Problema político'
"A crise do crédito está deixando de ser apenas um problema econômico para se tornar um problema político", disse Miles Johnstone, diretor de Riscos Políticos da Aon, nos Estados Unidos.

"Quando uma economia está em baixa, o governo tem menos recursos disponíveis para lidar com algumas questões problemáticas, o que poderia levar a uma instabilidade política", explicou.

A empresa cita como exemplo recentes protestos violentos na Grécia, na Lituânia, na Letônia, na Islândia e na Bulgária.

A crise também fez com que a seguradora criasse a categoria de altíssimo risco para colocar países cujas condições se deterioram ainda mais no ano passado - Afeganistão, República Democrática do Congo, Irã, Iraque, Coréia do Norte, Somália e Zimbábue.

Por outro lado, outros 13 países melhoraram sua situação no ranking de risco, como a Colômbia, a Síria e a Líbia.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG