Crise antecipa eleições na Islândia

Copenhague, 23 jan (EFE).- O primeiro-ministro da Islândia, o conservador Geir Haarde, anunciou hoje a convocação de eleições gerais antecipadas para 9 de maio.

EFE |

O anúncio acontece após três dias de protestos populares contra o Governo por sua atuação durante a crise econômica, que deixou o país à beira da da falência.

Haarde também comunicou que será operado no mês que vem por causa de um tumor maligno e que não concorrerá nas eleições.

"O Governo seguirá trabalhando com determinação até as eleições para realizar as tarefas mais urgentes", afirmou Haarde, ressaltando que a campanha eleitoral não deve interferir no programa econômico estipulado com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

O FMI concedeu em novembro passado um empréstimo de US$ 2,1 bilhões à Islândia, cujo Governo se comprometeu a iniciar um programa de austeridade para estabilizar a taxa cambial, reestruturar os bancos e garantir a sustentabilidade fiscal.

A Islândia, país com pouco mais de 310 mil habitantes, também recebeu um empréstimo de cerca de US$ 3 bilhões de Dinamarca, Suécia, Noruega, Finlândia, Rússia e Polônia.

Os protestos contra as autoridades aconteceram em Reykjavik após a explosão da crise o outubro passado, mas cresceram nos últimos dois dias. EFE alc/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG