Criminosos vendem material nuclear falso à Al Qaeda, dizem EUA

WASHINGTON (Reuters) - Quadrilhas têm enganado a Al Qaeda com falsas ofertas de material nuclear, prejudicando o grupo militante em seus esforços para desenvolver uma bomba atômica, o que iria ameaçar a ordem mundial, disse a Casa Branca na segunda-feira. Já houve numerosos relatos nos últimos oito ou nove anos de tentativas de obter vários tipos de suposto material, disse a jornalistas John Brennan, assessor de contraterrorismo do presidente Barack Obama.

Reuters |

"Sabemos que a Al Qaeda esteve envolvida algumas vezes. Sabemos que eles foram enganados algumas vezes", disse Brennan durante uma cúpula de 47 países para discutir questões de segurança nuclear.

Brennan disse haver "um forte conjunto de evidências" de que a Al Qaeda estaria priorizando a aquisição de tecnologia para bombas atômicas, além do plutônio ou do urânio enriquecido necessários.

De acordo com ele, grupos terroristas querem armas radiológicas, químicas e nucleares, mas desenvolver uma bomba atômica seria sua "meta máxima e mais prezada".

Funcionários dos EUA admitem, no entanto, que nem todos os países partilham dessas preocupações. Um dos objetivos da cúpula convocada por Obama é convencer os outros governos, especialmente aqueles com estoques de material nuclear apto ao uso em armas, de que a ameaça do terrorismo atômico é real e crescente, e que é necessário tomar medidas nos próximos quatro anos para garantir a segurança desse material.

"Não podemos esperar mais para trancarmos esses estoques", disse Brennan. "Perturbadoramente, o crime organizado está avidamente ciente do interesse de grupos terroristas em armas nucleares."

Relatos dos serviços de inteligência sugerem que a Al Qaeda encarregou indivíduos de tarefas específicas para a aquisição do material nuclear e da tecnologia para as bombas, disse Brennan.

Embora ainda não tenha conseguido, o grupo já provou ter "extrema paciência" e determinação, acrescentou ele.

(Reportagem de Ross Colvin)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG