Nova York, 31 jul (EFE) - Cerca de 200 pares de sapatos infantis são o símbolo escolhido por duas associações pacifistas para prestar homenagem hoje, em Nova York, às crianças mortas no Iraque desde que os Estados Unidos invadiram o país em março de 2003. Com a intenção de chamar a atenção para o custo humano da Guerra do Iraque, as organizações sociais nova-iorquinas reuniram em uma praça no centro da cidade mais de 200 pares de sapatos com os nomes e as idades reais de algumas das crianças que perderam a vida neste conflito. Raid Ahmed, de 2 anos, Hamza Rekaad, de 6 anos, Filha de Hussein e Traish, de 3 anos, são algumas das frases que podem ser lidas nos sapatos. A intenção das associações American Friends Service Committee (AFSC, em inglês) e Codepink é comover e conscientizar os nova-iorquinos sobre as conseqüências da guerra.

"Desde que começou a guerra, muitas crianças morreram entre 655 mil e um milhão de iraquianos. Estes nomes são reais e foram recopilados por nossos voluntários na região", explicou à Agência Efe a coordenadora de projetos da AFSC, Iris Bieri.

O ato, que recebe o título de Walking in Their Shoes (expressão que em inglês significa se colocar na pele de alguém), é para Bieri uma homenagem a todos os civis que faleceram no conflito e para aqueles que "hoje em dia continuam morrendo todos os dias, além de nossos soldados".

"Ainda não há consciência suficiente nos Estados Unidos do que ocorre e continuamos gastando muitos recursos humanos e econômicos na guerra", assegurou Bieri, que também lembrou que "40% dos impostos que os americanos pagam servem para financiar a guerra".

As duas associações realizarão atos similares a esse nas convenções que os dois grandes partidos políticos, o republicano e o democrata celebrarão em Minnesota e Denver respectivamente. EFE dvg/bm/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.