Crescente Vermelho iraniano enviará ajuda a Gaza

Porta-voz de órgão de ajuda humanitária anuncia envio de dois barcos ainda nesta semana a Gaza

iG São Paulo |

O Crescente Vermelho iraniano enviará três barcos, dois deles antes do final da semana, e um avião de ajuda humanitária a Gaza, anunciou nesta segunda-feira o diretor da organização de caridade à televisão estatal.

Getty Images
O Crescente Vermelho é o equivalente à Cruz Vermelha no mundo muçulmano
"Estamos alugando dois barcos, um que transportará 70 trabalhadores humanitários, enfermeiros e médicos, e outro com medicamentos e alimentos para a população de Gaza", declarou o diretor internacional do Crescente Vermelho, Abdolrauf Adibzadeh, à TV estatal iraniana.

O Crescente Vermelh iraniano também vai enviar um avião carregado com 30 toneladas de ajuda humanitária a Gaza através do Egito. "A carga se compõe de comida e equipamentos médicos, e chegará a Gaza antes do fim desta semana através da passagem de Rafah", controlada pelo Egito, explicou Adibzadeh à televisão estatal.

A decisão iraniana acontece uma semana depois do ataque israelense contra uma frota humanitária no litoral de Gaza, que resultou em nove passageiros mortos . No sábado, as forças israelenses abordaram, dessa vez sem problemas, outro cargueiro que levava ajuda a Gaza, o " Rachel Corrie ", e seus passageiros e tripulação foram expulsos de Israel.

Inquérito internacional sobre ataques

No último domingo, o embaixador israelense nos Estados Unidos, Michael Oren, disse que seu país não pedirá desculpas à Turquia pela morte dos nove ativistas.

"Israel não pedirá perdão por ter tomado as medidas necessárias para defender seus cidadãos e não se desculpará por ter feito o que foi preciso para defender as vidas de nossos soldados", afirmou Oren à rede de TV americana Fox News.

Oren disse ainda que Israel rejeita a proposta de um inquérito internacional sobre a operação. "Rejeitamos uma comissão internacional", disse ele à Fox. "Israel tem a capacidade e o direito de se auto-investigar e não de ser investigado por qualquer comissão internacional", disse.

A proposta de uma investigação envolvendo outros países foi discutida em um telefonema na manhã de domingo entre o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e o premiê de Israel, Binyamyn Netanyahu. Pelo plano, a comissão incluiria representantes dos EUA, Turquia e Israel, que reportariam suas conclusões ao primeiro-ministro da Nova Zelândia.

No domingo, os ministros do Exterior de França e Grã-Bretanha pediram a Israel que aceite no mínimo uma "presença internacional" na investigação do incidente. "Acreditamos que deve haver no mínimo uma presença internacional na investigação", disse o ministro britânico, William Hague.

Já o ministro francês, Bernard Kouchner, sugeriu que a União Europeia adote um papel mais importante na provisão de ajuda humanitária para Gaza e na restrição à entrada de armas no território. "A União Europeia deve participar mais, politicamente e concretamente, do que já faz - e já o faz bastante", disse Kouchner.

* Com AFP e BBC Brasil

    Leia tudo sobre: IsraelFaixa de Gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG