Crescem processos contra Starbucks por descumprir lei de gorjetas

Los Angeles (EUA), 3 abr (EFE) - A Starbucks enfrenta uma onda de processos nos Estados Unidos por descumprir a lei de gorjetas, um crime que lhe custará US$ 100 milhões na Califórnia, segundo uma sentença recente, informaram veículos de comunicação locais.

EFE |

Ao caso californiano se somam Minnesota, Massachusetts e, hoje, Nova York.

A empresa anunciou que recorrerá da decisão da juíza da Corte Superior de San Diego que, no início de março, considerou culpada a Starbucks de obrigar os funcionários a dividir as gorjetas com os encarregados das cafeterias, o que é proibido pela lei do Estado.

A juíza, Patricia Cowett, determinou que a Starbucks deve pagar US$ 100 milhões em gorjetas, mais juros, a seus funcionários na Califórnia e fixou uma audiência para 1º de maio na qual se decidirá como o dinheiro será distribuído.

O sucesso do caso californiano, que remonta a 2004, acendeu o pavio para ações judiciais em outros Estados.

A Starbucks observou serem abertas outras frentes contra sua política de gorjetas em Minnesota e Massachusetts há duas semanas e agora Nova York, depois que foi apresentado hoje um processo similar em um juizado de Manhatan.

A rede de cafeterias considera a lei "extremamente injusta e fora de toda lógica", nas palavras do diretor-executivo Howard Schultz, que afirma que os supervisores dos restaurantes têm direito de receber parte das gorjetas, pois seu trabalho é voltado a oferecer um melhor serviço ao cliente.

O recurso que a Starbucks estuda impetrar contra a decisão judicial da juíza de San Diego dará tempo à empresa para buscar uma solução antes de ter de pagar, o que não está nos planos da direção.

Além disso, a companhia alegou em sua defesa que os supervisores não atuam como gerentes. EFE fmx/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG