Créditos de carbono atingem sua menor rentabilidade

Por Michael Szabo TORONTO (Reuters) - A desaceleração econômica e a crescente incerteza sobre as futuras metas de redução de emissões contribuíram para que a rentabilidade do comércio de créditos de carbono atingisse um recorde de baixa, segundo estudo da consultoria IDEAcarbon.

Reuters |

O Mecanismo do Desenvolvimento Limpo, instituído pelo Protocolo de Kyoto, admite que especuladores comprem os créditos derivados de projetos de energia limpa em países em desenvolvimento, para vendê-los, com lucro, a empresas de países desenvolvidos, que têm metas de redução de emissões a cumprir.

Esse comércio de certificados de redução de emissões (CREs) gerou, em 2007, cerca de 7 bilhões de dólares em investimentos ambientais em países em desenvolvimento, como China, Índia e Brasil.

A redução da rentabilidade desses créditos pode desestimular investimentos, disse nesta semana a IDEAcarbon, da Grã-Bretanha.

O mercado secundário de CREs está caindo devido à desaceleração econômica e à falta de sinais políticos claros.

O Protocolo de Kyoto expira em 2012, e um novo tratado, com novas metas de redução de emissões, só deve ser definido no final de 2009.

A desaceleração econômica, somada à queda dos preços do petróleo e da eletricidade, deve reduzir a demanda por créditos de carbono na Europa, o que também afeta seu valor.

Os preços no mercado secundário caíram um terço desde julho. O CRE com resgate entre 2008-2012 atingiu na segunda-feira seu nível mais baixo em 7 meses, 15,17 euros (19,34 dólares) por tonelada, segundo o índice Reuters CER.

Isso ajudou a reduzir os preços no mercado primário em cerca de 25 por cento desde o auge, no começo de julho, mas esses títulos são mais comercializados do que no mercado primário, o que faz com que o resultado líquido seja uma redução da margem.

Proprietários de projetos informam que os preços dos CREs no mercado primário para os contratos mais comuns caíram para menos de 11 euros nesta semana, segundo a pesquisa de preços da IDEAcarbon.

A diferença entre os mercados primário e secundário, que determina a rentabilidade de quem investe em projetos do Mecanismo do Desenvolvimento Limpo, caiu para seu menor nível histórico, entre 4 e 4,50 euros.

Para ver os preços do CRE no mercado secundário, avaliados pela IDEAcarbon, e para mais notícias e análises sobre o mercado global de carbono (em inglês), visite http://www.communities.thomsonreuters.com .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG