Cozinheiro tenta usar leite materno em seus pratos e gera polêmica na Suíça

Genebra, 18 set (EFE).- O cozinheiro de um restaurante da cidade suíça de Winterthour teve que voltar atrás em sua intenção de usar leite materno em alguns de seus pratos, após ter causado polêmica na Suíça esta semana, depois que pediu que mães vendessem o material.

EFE |

Hans Locher, dono do restaurante Storchen, e que se declarou convencido das virtudes e do saber agradável do leite materno, que redescubriu recentemente após o nascimento da filha, tinha dito que gostaria de usar o ingrediente em algumas de suas especialidades.

"Todos nos alimentamos do leite materno quando éramos bebês.

Então, por que não tomá-lo também como adultos?", disse Locher à imprensa local.

Para conseguir o leite, o cozinheiro anunciou através da agência suíça "ATS" que oferecia 6,50 francos suíços (4 euros) por 400 mililitros do líquido.

"A identidade das mães ficará no anonimato", garantiu Locher.

Para o cozinheiro, o leite materno é mais suave e tem mais gordura que o leite de vaca, por isso é excelente para elaborar sopas ou ensopados.

Além da polêmica gerada na opinião pública suíça, o aspecto sanitário preocupou as autoridades do cantão de Zurique, que ontem ameaçaram denunciá-lo se colocasse a idéia em prática.

"A legislação não considera os humanos como produtores de leite.

Não estão na lista das espécies autorizadas, como as vacas e as ovelhas, embora também não estejam entre as espécies proibidas, como os macacos", disse Rolf Etter, do laboratório de controle alimentício de Zurique.

Mas, apesar do vazio legal, os responsáveis de saúde concluíram que a utilização de leite materno em um restaurante teria constituído crime.

Para evitar uma multa, o cozinheiro declarou a uma rádio que tinha desistido de incluir leite materno em seus pratos. EFE vh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG