Um cozinheiro britânico que havia matado seu amante antes de cozinhar uma parte de sua carne foi condenado nesta segunda-feira em Leeds (norte) à prisão perpétua acrescentada de uma pena de 30 anos.

Anthony Morley, 36 anos, estrangulou Damian Oldfield antes de esfaqueá-lo diversas vezes, para cortá-lo depois em seis peças de carne e cozinhá-las com ervas e azeite de oliva.

"Antes deste caso, achava que o canibalismo acontecia em épocas remotas, nas passagens de Robinson Crusoé", comentou o juiz James Stewart ao anunciar o veredicto de "um dos assassinatos mais sórdidos" no qual ele já trabalhou.

O magistrado lembrou como Anthony Morley havia utilizado suas habilidades de chefe para cortar seu amante e cozinhar sua carne. "Ela não estava a seu gosto, então a jogou no lixo", acrescentou.

Pouco antes do assassinato, os dois homens mantiveram relações sexuais na cama do acusado. Este afirmou que havia matado Damian Oldfield porque tinha pensado que seu amante queria violentá-lo no meio da noite.

Anthony Morley entrou em seguida em um restaurante vizinho, vestido com um roupão sujo de sangue e sandálias, afirmando que tinha acabado de matar alguém que havia tentado estuprá-lo.

Durante seu julgamento, o acusado afirmou que não se lembrava do ocorrido.

et/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.