Pelo menos 886 tartarugas-de-couro já nasceram na praia Junquillal, do Pacífico costa-riquenho, nesta temporada, graças à proteção de jovens da comunidade, que espantam os predadores e protegem os ovos, informou o Fundo Mundial para a Natureza (WWF, sigla em inglês), nesta quinta-feira.

"Nesta última temporada, Junquillal foi, provavelmente, a mais importante praia de desova secundária de tartarugas-de-couro na América Central, devido, não apenas à quantidade de ninhos detectados, mas ao sucesso no número de nascimentos de tartaruguinhas", afirmou Gabriel Francia, coordenador do Programa de Conservação de Tartarugas-de-Couro do Pacífico, do WWF.

O mérito é do grupo de seis jovens, membros do programa, que todas as noites patrulham os quase 6 km da praia de Junquillal, em busca de tartarugas marinhas que tenham saído para desovar.

Quando as encontram, registram a hora em que saíram do mar, as condições ambientais e da maré e o lugar em que saíram, entre outros detalhes. Depois que voltam para a água, eles retiram os ovos do ninho e os levam para um viveiro, onde estarão a salvo de predadores e do saque dos humanos.

A tartaruga-de-couro (dermochelys coriacea) é a maior do mundo. Mede quase dois metros e pode pesar até 650 kg. Está em sério risco de extinção, principalmente, por causa do saque aos ninhos.

af/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.