WASHINGTON - A decisão da Corte Suprema que devolveu aos prisioneiros de Guantánamo o direito a recorrer à Justiça ordinária é uma das piores decisões da história do país, afirmou hoje o candidato republicano para as eleições presidenciais norte-americanas de novembro, John McCain.

"Esta decisão prejudicará nossa capacidade de manter o país seguro", afirmou o senador durante um encontro em Nova Jersey.

McCain disse que, em Guantánamo, onde as forças militares mantêm presos suspeitos de terrorismo, "existem pessoas más", que não deveria contar com a possibilidade de reclamar por sua situação.

Na quinta-feira, a Corte Suprema reconheceu o direito dos prisioneiros de Guantánamo a recorrer aos tribunais civis para contestar sua situação, em uma sentença dividida, após uma votação de 5 contra 4.

Obama saúda decisão

A decisão da Corte é uma rejeição à tentativa do governo Bush de criar um buraco negro jurídico em Guantánamo, uma política equivocada que John McCain apóia", declarou Obama em um comunicado.

"É um passo importante para restabelecer nossa credibilidade como nação comprometida com a defesa do Estado de direito, e para rejeitar um falso dilema entre a luta contra o terrorismo e a proteção" das liberdades individuais, acrescentou Obama.

"Não podemos nos permitir perder ainda mais tempo na luta contra o terrorismo", acrescentou o candidato democrata, que também denunciou o sistema de tribunais militares de exceção instaurados em Guantánamo para julgar parte dos detidos por terrorismo.

(*Com informações das agências AFP  e Ansa)

Leia mais sobre: eleições nos EUA - Guantánamo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.