Taipé, 13 jul (EFE).- O Tribunal de Taipé decidiu hoje prolongar por dois meses a prisão preventiva do ex-presidente taiuanês Chen Shui-bian, detido desde o final de 2008 por um caso de corrupção.

Chen, cuja detenção expira em 25 de julho, disse, através de um comunicado de seu escritório antes da decisão, que "não tinha muitas esperanças" de ser libertado, dada à atitude da Justiça e do Governo perante seu caso.

O ex-presidente, acusado junto com a esposa e outros parentes de suborno, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos e outras acusações, se declarou inocente e perseguido pela "China e pelo governante Partido Kuomintang". EFE flp/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.