Buenos Aires, 2 jul (EFE).- A Corte Suprema da Argentina negou hoje o pedido de extradição à Alemanha dos ex-militares argentinos Jorge Videla e Emilio Massera, solicitado pelo caso do desaparecimento de uma mulher alemã no país.

O tribunal rejeitou o pedido feito pela justiça alemã pelo rapto e assassinato da socióloga Elizabeth Käsemann em 1977, um caso que não chegou a ser julgado no processo contra as Juntas Militares que foi iniciado em 1985.

Videla foi o primeiro presidente da última ditadura argentina e cumpre prisão domiciliar em Buenos Aires, enquanto o processo contra Massera, um dos três chefes militares que lideraram o golpe de Estado de 1976, foi suspenso após o ex-militar sofrer um derrame em 2002 e ser declarado "incapaz". EFE hd/plc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.