Islamabad, 5 set (EFE).- Uma corte paquistanesa realizou hoje outra audiência preliminar por causa do atentado na cidade indiana de Mumbai em novembro do ano passado, que deixou 166 mortos, com o comparecimento de dois novos paquistaneses acusados de envolvimento com o massacre, informou à Agência Efe uma fonte judicial.

O tribunal antiterrorista de Rawalpindi, cidade vizinha a Islamabad, fixou para 19 de setembro a próxima audiência de um caso que acontece a portas fechadas por motivos de interesse nacional e para preservar a segurança, segundo a fonte, que pediu para não ser identificada.

Os juízes devem ainda determinar se acusam formalmente cinco cidadãos paquistaneses que permanecem há várias semanas na prisão de Adiala, onde acontece o processo judicial, e os outros dois que foram detidos recentemente.

Entre os suspeitos em relação ao ataque a Mumbai está Zakiur Rehman Lakhvi, chefe de operações do Lashkar-e-Toiba (LeT), grupo caxemiriano com base no Paquistão ao qual Nova Délhi e Islamabad responsabilizam pelo massacre que matou 166 pessoas.

Segundo as autoridades paquistanesas, Lakhvi foi o suposto "cérebro" do atentado.

Os outros detidos são Zarar Shah, Abu al-Qama, Hamad Amin Sadiq e Shahid Jamil Riaz, todos eles membros do LeT que teriam fornecido armamento, financiaram ou colaboraram em diferentes graus com o comando que realizou o ataque.

Os dois detidos mais recentemente são Jamil Ahmed e Younus Anjum.

EFE igb/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.