Corte Interamericana analisa caso de grampo a membros do MST no Paraná

México, 1 dez (EFE) - A Corte Interamericana de Direitos Humanos abriu hoje no México o 37º Período Extraordinário de sessões, onde analisará um caso envolvendo um grampo no telefone de membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-terra (MST).

EFE |

O tribunal ouvirá as alegações do caso "Escher e outros vs.

Brasil", relacionado com a suposta intercepção e espionagem das linhas telefônicas de Arley José Escher e outros integrantes do MST supostamente realizada entre abril e junho de 1999 por parte da Polícia Militar do Paraná.

Além disso, a Corte analisará casos envolvendo Argentina, Colômbia e Honduras.

"O tema dos direitos (humanos) é hoje de primeira importância na agenda continental e os órgãos de supervisão não podem estar alheios a isso", afirmou na abertura a presidente do organismo, a chilena Cecilia Medina.

Ela lembrou que o objetivo da audiência é "ajudar a promover um conhecimento mais próximo e completo sobre como se desenvolvem os processos litigiosos", assim como divulgar o trabalho da Corte.

Desde 2004, a Corte Interamericana, cuja sede permanente está na Costa Rica, realizou sessões extraordinárias em Brasil, Argentina, Colômbia, El Salvador, Guatemala, Honduras, Paraguai e Uruguai. EFE act/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG