Corte eleitoral da Bolívia pede fim de pressão sobre resultados

La Paz, 8 abr (EFE).- A Corte Nacional Eleitoral (CNE) da Bolívia exigiu hoje respeito a seu trabalho e pediu o fim da pressão pelos resultados das eleições departamentais e municipais de domingo.

EFE |

O presidente da CNE, Antonio Costas, leu diante de jornalistas um comunicado apontando que o organismo atualmente está completando "uma etapa tão delicada do processo quanto o cômputo departamental".

Também rejeitou as declarações, opiniões e manifestações de "intolerância que estão colocando em dúvida a transparência, legalidade e legitimidade das recentes eleições".

"Estas atitudes estão minimizando a importância e transcendência das eleições para o país, assim como a ampla participação e compromisso cidadão, reconhecidos dentro e fora de nossas fronteiras", disse Costas.

Ao mesmo tempo, lamentou pela vontade de se "criar um ambiente de incerteza e desconfiança nos cidadãos", com alegações de uma possível fraude que, segundo ele, só revelam desconhecimento das normas e procedimentos eleitorais.

As denúncias foram feitas tanto pelo presidente Evo Morales quanto por seus opositores regionais, após eleições que foram mais apertadas do que se esperava, já que o Governo não obteve o apoio previsto, sobretudo se comparado com a vitória de Morales em dezembro, com 64,2% dos votos. EFE ja/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG